quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Delegado aponta indícios de que suposto sequestro de jovem pode ter sido forjado


Foto: Thonny Hill - Arquivo

Na noite de quarta-feira (02) o delegado da polícia civil, Dr. Júlio Cesar Porto, que está à frente das investigações do suposto sequestro de uma jovem de 19 anos em Santa Cruz do Capibaribe, falou sobre o caso.

O suposto sequestro de Rayane Ferreira da Silva teria acontecido na noite de segunda-feira (01). Durante a entrevista, concedida ao repórter policial Maurício Sobrinho, Dr. Júlio Cesar fez revelações importantes sobre o inquérito que foi instaurado, que deve ser concluído nos próximos 30 dias.

Contradições no depoimento da jovem

Durante a entrevista, o delegado citou que o depoimento de Rayane foi repleto de contradições, mas que o resultado do inquérito que deve apontar se foi, ou não, uma farsa planejada somente pela jovem ou por mais pessoas, deve ser concluído nos próximos 30 dias.

“Ela apresenta diversas contradições nas suas colocações, apesar de estar, no momento da sua oitiva (ou depoimento), muito nervosa. A gente ainda não pode concluir, de forma categórica, se houve, ou não, efetivamente o sequestro ou outra situação em que a senhorita usou de subterfúgio para, possivelmente, maquiar outra situação que estivesse a passar.” – disse.

O delegado citou que mais pessoas serão ouvidas e que a jovem foi advertida que poderia ser punida judicialmente em caso de falso testemunho. A jovem teria sustentado a versão que foi, de fato, sequestrada.

“Ela está salva, isso é o que importa para a polícia de maneira imediata. De forma mediata, é o esclarecimento dos fatos já que, tão grave quanto ter havido um sequestro, é uma pessoa manejar o aparato policial quando, desde o princípio, sabia que tudo aquilo não passava de uma farsa. Ela foi advertida quanto a isso.” – pontuou o delegado.

Blog Ney Lima 



Aqui seu corpo sempre está em forma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário