quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Apocalipse: o caminho para anular a eleição de 2014


A decisão do TSE de abrir a ação que pode anular as eleições de 2014 empurrará mais o PMDB para o barco do impeachment, avalia a cúpula do partido. Isso porque, na hipótese de cassação do diploma eleitoral da presidente Dilma Rousseff, o vice Michel Temer também seria atingido. "Melhor perder Dilma do que perder Dilma e Michel", diz um peemedebista. O julgamento seria um instrumento de pressão sobre os que ainda estão reticentes em relação ao impeachment.

A ação do TSE, portanto, pode mudar todo o cenário político em Brasília, independentemente de seu desfecho. O partido espera a indicação do relator do caso, na semana que vem, para calcular os próximos passos.

O Planalto teme a escolha de Gilmar Mendes para a relatoria. Próximo a dirigentes do PSDB, o ministro tem feito críticas contundentes ao PT. Apesar dos petardos, a defesa de Dilma não pretende pedir a suspeição do juiz, como fez no TCU em relação a Augusto Nardes.

Se o TSE reunir em uma só as quatro ações que tramitam na corte contra a presidente, como devem pleitear os petistas, os advogados de Dilma consideram mais fácil manter a relatoria longe das mãos de Gilmar Mendes.

De Natuza Nery, hoje na coluna política da Folha de S.Paulo:



O pequeno do Gás

Nenhum comentário:

Postar um comentário