segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Vitória fora deu confiança ao Sport


Os rubro-negros chegam à reta final fortalecidos. Apesar de a situação do time ainda ser complicada, a goleada levantou o moral e deu mais confiança ao Sport para os últimos quatro jogos do Campeonato Brasileiro da Série A. A goleada por 3×0 sobre o Vasco, jogando com três atacantes, provou que a equipe pode jogar bem sem a formação mais precavida. Durante a partida, os leoninos foram equilibrados, defendendo com eficiência e marcando os gols na hora certa. O único destaque negativo foram os erros de passes excessivos, principalmente no primeiro tempo do duelo em São Januário.
“Nós estamos de parabéns e os jogadores cumpriram o que foi acordado durante a semana. Eu estou feliz pelo que o time conseguiu, mas a caminhada é árdua e eu estou aqui para instigá-los. Precisamos jogar bem para conseguir isso (sair da zona de rebaixamento)”, afirmou Sérgio Guedes.
A disciplina tática do Leão foi destacada pelos atletas. Mesmo atuando com três atacantes, o Sport recuou, atraiu o Vasco para o campo de defesa e, através dos contra-ataques, chegou à nona vitória no Campeonato Brasileiro. Acostumado a ser presença quase certa no campo de ataque, Cicinho segurou o seu ímpeto, sendo importante para que a defesa rubro-negra saísse de campo sem sofrer gols.
“Nós batalhamos, nos concentramos muito durante a semana e saímos de campo com a cabeça erguida. Nós tivemos uma proposta de priorizar os contra-ataques por eles estarem com três atacantes e um atleta a menos no meio de campo”, declarou Cicinho. “Conseguimos a vitória atuando o jogo todo bem e anteriormente estávamos jogando apenas 45 minutos bem. Tenho fé em Deus que essa sequência de vitórias vai sair para termos um fim de ano tranquilo”, acrescentou o lateral-direito.
Além de Felipe Azevedo e Hugo que se destacaram por balançar as redes adversárias, o jogo de ontem foi a volta por cima de Saulo. Após ser criticado por falhar na derrota por 4×2 para o São Paulo, o goleiro realizou duas defesas em lances difíceis em São Januário.

Coritiba bate Atlético-MG e deixa Flu perto do título



AE - O Coritiba deu uma ajuda e tanto ao Fluminense. Neste domingo, o time paranaense derrotou o Atlético Mineiro por 1 a 0, no estádio Couto Pereira, em Curitiba, pela 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro, se livrou de qualquer risco de rebaixamento e fez com que o clube carioca ficasse ainda mais perto da conquista do título nacional.
Agora com 45 pontos, em 10.º lugar, o Coritiba atingiu o “número mágico” para quem não quer ser rebaixado à Série B. E deixou o Atlético com os mesmos 64 pontos, nove atrás do líder Fluminense com mais 12 para disputar até o fim da competição. Assim, na próxima rodada, no final de semana, o time do Rio de Janeiro já tem chance de ser campeão.
Em campo, o Coritiba começou melhor e abriu o placar logo aos nove minutos. O meia Everton Ribeiro foi derrubado dentro da área pelo volante Fillipe Souto e o árbitro matogrossense Wagner Reway marcou o pênalti. O centroavante Deivid cobrou com perfeição no canto direito do goleiro Victor, que caiu no lado oposto, e marcou seu sétimo gol no Brasileirão.
Com a vantagem, o Coritiba resolveu apostar nos contra-ataques e sofreu pressão do Atlético, especialmente no segundo tempo. A melhor chance atleticana aconteceu aos 42 minutos. Em um chute à queima-roupa de Guilherme, na entrada da área, que o goleiro Vanderlei salvou em boa defesa.

FICHA TÉCNICA:
CORITIBA 1 X 0 ATLÉTICO-MG
CORITIBA – Vanderlei; Victor Ferraz (Júnior Urso), Luccas Claro, Escudero e Dênis; Willian, Gil, Lincoln (Emerson Santos), Éverton Ribeiro; Rafinha (Pereira) e Deivid. Técnico: Marquinhos Santos.
ATLÉTICO-MG – Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júnior César; Fillipe Soutto (Escudero), Leandro Donizete, Serginho (Guilherme), Bernard e Ronaldinho; Jô (Leonardo). Técnico: Cuca.
GOL – Deivid, aos nove minutos do primeiro tempo.
ÁRBITRO – Wagner Reway (MT).
CARTÕES AMARELOS – Gil, Everton Ribeiro, Lincoln, Willian (Coritiba); Leandro Donizete, Jô, Marcos Rocha (Atlético-MG).
RENDA – R$ 319.226,00.
PÚBLICO – 18.216 pagantes.
LOCAL – Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).

Bahia vence e põe Portuguesa na luta contra descenso


AE - Preocupados com a ameaça do rebaixamento, Portuguesa e Bahia tinham tudo para ficar no empate sem gols, neste domingo à noite pela 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas o time baiano “achou” seu gol aos 32 minutos do segundo tempo, com o atacante Souza, venceu por 1 a 0, quebrou o jejum de seis jogos sem vitória e deixou o Canindé com os mesmos 40 pontos do adversário paulista, que está na frente, em 15.º lugar, por ter melhor saldo de gols: -1 a -4.
Os dois times, agora, ficam quatro pontos à frente do Sport, equipe que abre a zona de rebaixamento. E a Portuguesa vai precisar melhorar nos últimos quatro jogos, porque não vence há seis partidas e não faz um gol há quatro.
Para acabar com a seca de vitórias, os dois times iniciaram o jogo demonstrando disposição ofensiva. A Portuguesa tentava chegar ao ataque na base da pressão e do toque de bola, mas exagerava nos erros de passes – mais de 30 só no primeiro tempo. O Bahia tentava imprimir velocidade nos contra-ataques com Jones Carioca, apostando no “faro de gol” de Souza.
No segundo minuto, Bruno Mineiro apareceu bem na área em condições de finalização, mas estava impedido. Aos quatro, Souza chegou a marcar o gol para os visitantes, mas antes cometeu falta sobre Valdomiro, marcada pelo árbitro.
A rigor, porém, aconteceram só duas chances reais, uma para cada lado. Aos 23 minutos, após levantamento de Jones Carioca, Gabriel completou e Dida mandou para escanteio. E aos 43 minutos após escanteio, Valdomiro cabeceou e Marcelo Lomba teve que tirar com o pé para evitar a chegada de Bruno Mineiro.
O segundo tempo começou sem mudanças e em alta velocidade. Aos cinco minutos, Souza foi lançado e ajeitou a bola no peito enquanto a defesa pedia impedimento. Mas o atacante enfeitou na sequência, tentando dar um toque de calcanhar. No lance seguinte a Portuguesa devolveu. Ananias foi lançado em velocidade, entrou na área e dividiu com Jussandro. O árbitro não marcou pênalti.
O jogo continuou equilibrado. Aos 31 minutos, Geninho tentou colocar os mandantes no ataque, tirando o volante Léo silva para a entrada do atacante William Xavier. Apesar de uma leve melhora o gol não saiu. Isso para a Portuguesa, porque o Bahia chegou lá aos 32 minutos. Diones chutou de longe, forte. A bola quicou na frente de Dida, que não conseguiu encaixar. O rebote caiu nos pés de Souza que, em velocidade, chutou no alto.
Depois disso, Dida ainda fez duas grandes defesas e evitou uma goleada. A Lusa, mesmo com as entradas dos atacantes Heverton e Rodriguinho, não chegou mais no gol adversário.
A 35.ª rodada será realizada no próximo final de semana. No sábado, a Portuguesa vai jogar diante do Botafogo, no Engenhão, no Rio de Janeiro, a partir das 19h30. No domingo, às 19h30, no Independência, o Bahia vai tentar segurar o Cruzeiro.