quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Foi destaque no Programa Opinião- Jornalista Magno Martins atuou pesado com o objetivo de destruir a candidatura de deputado Diogo Moraes.


Na última e decisiva semana que antecedeu a eleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o jornalista Magno Martins, responsável pelo Blog do Magno e o programa de rádio Frente a Frente, atuou pesado com o objetivo escancarado de implodir a candidatura do socialista á Primeira Secretaria da Alepe.


Da quarta, dia 28, até o sábado 31, foram publicados diversos posts que, por um lado, tripudiavam sobre Diogo Moraes, e de outro exaltavam o seu adversário para o cargo que, na prática, administra a Assembleia Legislativa.


Às 09h16min do dia 28 Magno publicou um post cujo primeiro parágrafo dizia o seguinte: “O deputado Diogo Moraes (PSB) é carta fora do baralho para ocupar a primeira secretaria da Assembleia Legislativa de Pernambuco em eleição marcada para o próximo domingo. Com o martelo batido em torno da reeleição de Guilherme Uchoa (PDT) para presidente, o PSB fará a primeira secretaria e definirá hoje entre os nomes de Waldemar Borges e Lula Cabral”.


Às 15h01min do mesmo dia, Magno publicou um texto de dois parágrafos, intitulado “Diogo recebe cartão vermelho do Governo”. A íntegra do texto foi a seguinte: “O Governo já comunicou ao deputado Diogo Moraes (PSB) que o primeiro secretário da Assembleia Legislativa, respaldado pelo PSB e com aval do governador Paulo Câmara, é o deputado Waldemar Borges (PSB). Desapontado, Moraes deixou, há pouco, o gabinete do secretário da Casa Civil, Antonio Figueira, resmungando. Mesmo assim, não haverá da parte dele nenhum ato de rebeldia que possa atrapalhar a unidade na base governista na eleição da mesa diretora na ALEPE”.


Às 06h00min da quinta-feira, dia 29, o blogueiro publicou uma coluna intitulada “O voo de águia de Lula Cabral”, no qual exaltou supostas qualidades do ex-prefeito do Cabo e deputado estadual Lula Cabral, a quem elogiou como bom gestor e aliado fiel do ex-governador Eduardo Campos. No mesmo dia Magno publicou uma nota curta, intitulada, “Choro no Palácio”, que dizia: “Certo de que apenas uma lista de supostos apoios garantiria seu passaporte para a Primeira-Secretaria da Assembleia, o deputado Diogo Moraes (PSB) quebrou a cara. Saiu do Palácio, ontem, aos prantos, ao ser informado pelo secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, que o partido não bancaria sua indicação, mas a de Lula Cabral”.


Na sexta-feira, dia 30, foram publicados dois pequenos textos no Blog do Magno. No primeiro o jornalista afirmou: “Deputados que ameaçam disputar cargos na Mesa Diretora da Assembleia com candidaturas avulsas não têm chances de bater os concorrentes oficiais, porque a composição é um acordo de confiança recíproca fechado entre todos os partidos seguindo o critério da proporcionalidade. E não há espaço para traições”! No segundo ele indagou: “O PSB vai punir quem dispute cargo na Mesa com candidatura avulsa”?
Às 06h00min do sábado, dia 31, Magno publicou uma coluna intitulada “Avulsos só prosperam na traição”, na qual expunha os graves riscos a que estariam submetidos os deputados governistas que votassem em Diogo estariam expostos.


No mesmo dia, Magno publicou mais 4 postagens, todas com o nítido objetivo de esvaziar a candidatura de Diogo Moraes. A primeira, publicada às 13h:22min, trazia o título: “Diogo começa a perder votos”. A segunda, publicada às 14h:09min, trazia o título: “Candidato avulso do PSB envolvido em escândalo”. Na terceira postagem, intitulada “PRP fecha com chapa oficial na Alepe”, publicada às 20h:28min, Magno afirmou que o deputado Diogo Moraes estava isolado em sua candidatura. Por fim, às 20h:39min, Magno Martins publicou a matéria “G-5 também fecha com Lula Cabral”, na qual sentenciou: “As chances de prosperar uma candidatura avulsa são cada vez mais remotas”.


Da quarta-feira, dia 28 de janeiro, até o domingo, dia 1º de fevereiro, as únicas postagens do Blog do Magno, de cunho verdadeiramente jornalístico e, portanto, isentas, referentes à disputa pela Primeira Secretaria da Alepe, foram produzidas pelo Diário de Pernambuco.


Com informações da Central de Jornalismo Comunidade FM




Em Jataúba tem.

Sérgio Reis agora é federal


 

Aos 74 anos, o cantor sertanejo Sérgio Reis fez sua estreia, ontem, como deputado federal. Os mais de 1,5 milhão de votos alcançados pelo ex-deputado Celso Russomano (PRB-SP) arrastaram o músico paulista, que obteve 45.330 votos, para a Câmara dos Deputados. No mundo artístico passa a dividir as atenções com o colega de outra área, o palhaço Tiririca (PR-SP), reeleito com mais de 1 milhão de votos.

Numa entrevista exclusiva ontem a este blogueiro, apresentado por este blogueiro, o cantor disse estar consciente sobre o desafio que terá pela frente. “O grande problema é que tem muita gente que está no poder e esquece que está representando um grupo de pessoas, uma nação. E daí eles só se preocupam em ganhar benefícios. Eu tenho nojo disso”, afirmou.

Ele contou que dispensou os serviços de aluguel de apartamento, carro e manobrista. “Meu carro eu mesmo vou dirigir. Para que eu vou precisar de uma manobrista? Eu só quero fazer o meu trabalho e voltar para casa”, afirmou. O deputado-cantor disse também que não fará discurso para as paredes.

“Se não tiver quem ouça, não falo”, ameaçou. Na sua cabeça, muitos projetos. Quer investir em hospitais e também beneficiar os aposentados. “O público tem tanto carinho por mim. Eu quero tentar fazer algo para retribuir. Por isso, resolvi aceitar entrar na política”, afirmou, adiantando que vai conciliar a agenda política com a carreira de cantor. “Eu não abro mão da música, de jeito algum.”

Outros nomes ligados às artes não tiveram a mesma sorte de Sérgio Reis nas urnas. Candidato à reeleição, o deputado e ator Stepan Nercessian (PPS-RJ), que teve seu nome associado ao contraventor Carlinhos Cachoeira, há dois anos, não conseguiu se reeleger. O pagodeiro Netinho (PCdoB-SP) teve mais de 82 mil votos, mas não se elegeu.

A cantora Sula Miranda (PRB) também fracassou na tentativa de alcançar um mandato. Ex-deputado federal e ex-vereador, Aguinaldo Timóteo (PR-RJ) bem que tentou voltar a Brasília. Mas não foi desta vez. Com menos de 19 mil votos, continuará distante da capital federal. Outras “celebridades” também fracassaram nas urnas.

Candidato a deputado federal, o ex-vencedor do Big Brother Brasil Diego Alemão (PV-RJ) não repetiu o sucesso de Jean Wyllys (P-Sol-RJ), que também havia conquistado uma edição do BBB antes de se eleger pela primeira vez, em 2010. Diego recebeu menos de cinco mil votos.

O cirurgião plástico Dr. Rey (PSC-SP), também conhecido como Dr. Hollywood, pelo programa que apresenta na Rede TV, também não se elegeu. Agora desassociado da imagem de ex-BBB e reconhecido como uma das principais lideranças do movimento LGBT no país, Jean Wyllys foi reeleito com 144.770 votos, dez vezes mais do que a votação obtida quatro anos atrás.

Tetracampeão mundial de futebol e melhor jogador do mundo em 1994, Romário virou senador pelo PSB do Rio depois da experiência na Câmara dos Deputados. E, agora, vai desfilar pelo Salão Azul, do Senado. Quem demonstrou ser bom de voto foi o goleiro Danrlei de Deus (PSD), que fez sucesso no Grêmio. Teve 158.973 votos, segundo mais votado de toda a bancada gaúcha.

Magno Martins 




Trabalho com seriedade e garantia.