sexta-feira, 26 de julho de 2013

Diogo Moraes fala do adiamento da vinda de Eduardo Campos a Santa Cruz do Capibaribe




O deputado estadual Diogo Moraes (PSB) participou do programa “Nordeste em Foco” desta quinta-feira (25). O deputado falou sobre o adiamento da vinda do governador Eduardo Campos (PSB) a Santa Cruz do Capibaribe, que estava prevista para acontecer hoje.
Segundo Diogo, o adiamento se deu por ajustes na agenda administrativa que Eduardo virá cumprir na cidade. “A data da vinda do governador a cidade será divulgada dentro de poucos dias, pois queremos aproveitar a vinda dele para entregar obras concluídas e projetos que serão anunciados para todo o Polo de Confecções. O governador tem uma extensa pauta de serviços para nossa região e em breve a população poderá recebê-lo para um dia que será repleto de muitos compromissos”, disse o deputado estadual.

Assessoria

Eduardo sugere a Dilma, em queda, "escutar bons conselhos"



Apesar de figurar na última pesquisa Ibope/CNI como o governador mais bem avaliado do país, com 58% de aprovação, o governador Eduardo Campos voltou a afirmar que as eleições de 2014 devem ser debatidas apenas no próximo ano.

“Vamos deixar a eleição para o ano que vem. As horas que se falou de eleição este ano, com a antecipação do debate eleitoral, não estão servindo de nada hoje. Então deixa isso para 2014”, disse Eduardo ao tratar de sucessão presidencial e da pesquisa no programa Frente a Frente de ontem, ancorado por este blogueiro.

Sobre a queda da popularidade do governo da presidente Dilma Rousseff, disse que “pesquisa é um retrato do momento'.

'Tem que saber fazer uma leitura correta das pesquisas. Tem que ter abertura para corrigir erros, para ter resultado lá na frente. Se não ouvir ninguém pode permanecer como está e até piorar. Tem que corrigir imperfeições, tem que escutar as pessoas, buscar competências, bons aconselhamentos”, observou.

O governador defendeu que o momento atual é ode lutar para garantir as conquistas obtidas nos últimos anos.

“A pauta é não perder conquistas e nem deixar a demagogia e o oportunismo presidirem o país. Temos que ter compromisso com a governabilidade. É necessário um novo pacto. Este sim é um debate mais profundo e que vai ser feito em 2014, mais do que escolher nomes”, afirmou.

Durante a entrevista, Eduardo comentou os índices recebidos por sua gestão e creditou os bons resultados ao trabalho de equipe.

'Nós temos tido uma avaliação, ao longo do primeiro e também do segundo mandato, que tem nos abastecidos de responsabilidade. É claro que eu compartilho esse resultado com toda a sociedade pernambucana, que tem confiado, estimulado, cobrado e nos apoiado.

Também com todos os servidores públicos, que cumprem o seu dever nas mais diversas áreas; com a equipe de dirigentes do Estado; e ao ambiente de sinergia positiva que se criou em Pernambuco, em torno de um projeto e um planejamento.

Todos unidos para colocar Pernambuco no rumo certo. Na direção de melhorar o serviço público, enfrentar os problemas, de buscar soluções para velhos e novos problemas', destacou.

Indagado sobre os números, Eduardo afirmou que eles servem como estímulo para continuar governando Pernambuco.

'Nós estamos com o mesmo ânimo como se fosse o primeiro dia de mandato. Com a mesma dedicação e com a mesma energia, buscando a ajuda de onde ela pode vir. Temos tido a preocupação também que o Governo não fique só nos gabinetes e monitore suas obras e ações.

Que possamos melhorar e mais a performance do Governo. Esse é que é o foco. Quanto a eleição, deixa ela ser discutida em 2014. Imagine quanto tempo se perdeu discutindo eleições no inicio deste ano, quando se tinha um cenário completamente diferente do atual. É melhor a gente cuidar do trabalho e deixar a eleição para tempo que estiver mais próximo efetivamente', afirmou.