sábado, 27 de julho de 2013

Passando pra desejar a todos leitores deste blog um belo final de semana.


Novas cédulas de R$ 2 e 5 reais começam a circula segunda faira.



Começam a circular, na segunda-feira (29), as novas cédulas de R$ 2 e R$ 5, da segunda família do real, informou o Banco Central (BC). Com isso, o BC antecipa o cronograma, que previa o lançamento dessas notas no segundo semestre.

De acordo com comunicado do Departamento do Meio Circulante, as notas de R$ 2 mantém o padrão de cor predominante azul, mas terá novas dimensões. A nota de cinco segue com o tom predominante lilás e passa a apresentar um tamanho diferente do atual.
As novas cédulas do real têm tamanhos diferenciados, marcas táteis em relevo e novos itens de segurança.

Os principais itens de segurança nas duas cédulas são a marca d’água, o “quebra cabeças”, no qual o valor da cédula aparece quando examinada contra a luz, marcas em alto relevo e elementos fluorescentes, visíveis sob a luz ultravioleta.

Em julho de 2012, o BC colocou em circulação as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20 – que deverão substituir as notas antigas, destes valores, até meados de 2014 – antes da Copa do Mundo. As cédulas de R$ 50 e R$ 100 da nova família do real já estão em circulação, e espera-se que as notas antigas, destes valores, sejam trocadas até o fim de 2013.

A previsão, anunciada em 2012, é que as novas notas de R$ 5 e R$ 2 sejam substituídas até meados de 2015, completando a troca para a segunda “família” do real. Desde 2010, a substituição das notas da primeira família do real ocorre gradualmente, à medida que elas são retiradas em decorrência de seu desgaste natural. As notas da primeira “família”, no entanto, seguem válidas.


Muçulmano desiste de cometer suicído e se converte ao cristianismo após ouvir sobre Jesus.



O ministério Portas Abertas divulgou recentemente o testemunho de vida de Keder, um muçulmano que estava prestes a suicidar, mas que desistiu de tirar a própria vida após ouvir sobre o amor de Cristo e se converter ao evangelho.
Keder já havia amarrado uma corda em uma árvore para se enforcar quando foi encontrado por um grupo de cinco estudantes cristãos que voltavam de um seminário realizado pelo Portas Abertas.
O então muçulmano relata que foi questionado pelos cristãos sobre o que estava fazendo, quando contou que queria se matar, por não ter paz em sua vida apesar de ser um religioso devoto.

- Bem, eu faço minhas cinco orações diárias e leio o Alcorão. Eu tenho dinheiro, esposa e filhos, mas não tenho paz. Eu quero ter paz. Isto é o que eu mais desejo – afirmou Keder, que então ouviu dos jovens sobre o amor de Jesus.

O estudante cristão o explicou que, apesar de o Alcorão ensinar que Jesus é apenas um profeta, a Bíblia diz que ele é realmente o Salvador de todos os que o aceitam, e também o Príncipe da paz.

- Eu encontrei a paz que procurava – afirmou o muçulmano, após ouvir sobre Cristo e entregar sua vida a Ele.

Depois de orarem por ele, os alunos o levaram para a igreja. Keder agora estuda a Bíblia e, ainda secretamente, serve a Deus em uma igreja local.

Americano perde 1 milhão na TV e agora nunca mais esquecerá onde fica o brasil !




Em um jogo de perguntas e respostas, na TV, o americano Richard perdeu 1 milhão de dólares.
Em um jogo de perguntas e respostas, semelhante ao “Show do Milhão”, nos Estados Unidos, um americano perdeu 1 milhão, de dólares, porque não soube responder onde fica o Brasil.
A pergunta: "Onde fica localizado o Brasil?" tinha as seguintes alternativas: A) Na China; B) Na África, C) Na América do Sul; D) Na Argentina. Inicialmente o participante ficou em duvida se era na África ou Argentina e resolveu arriscar na opção D. Acabou perdendo tudo.
"Na China eu sabia que não era porque as brasileiras não tem olhos puxados, fiquei na dúvida se era na África ou Argentina, pois na América do Sul só tem o Amazonas e Rio de Janeiro, então arrisquei na Argentina, região da qual desconheço, fui na sorte", disse o participante Richard.

Coluna do sabadão

      Guerra contraria bancada
No momento em que a oposição encomendou uma pesquisa para mostrar que a popularidade do governador caiu, o presidente estadual do PSDB, Sérgio Guerra, adotou, ontem, um discurso que não bate com o pensamento dos deputados tucanos na Assembleia.
Em entrevista ao Frente a Frente, se derramou em elogios ao governador Eduardo Campos, estimulando sua entrada na disputa presidencial. “É evidente que temos ainda problemas estruturais, mas o Estado mudou para melhor com Eduardo”, disse Guerra.
Para o dirigente tucano, no momento em que os políticos em geral estão em declínio, o fato de Eduardo ser apontado o governador com melhor avaliação no País fortalece seu projeto nacional. Guerra, apesar de já ter candidato a presidente, o senador mineiro Aécio Neves, diz que torce para Eduardo entrar na disputa.
“Fortalece a democracia e abre mais uma alternativa para o eleitorado nacional”, disse. Guerra disse que se Pernambuco não chegou ainda ao estágio desejado pela população, na gestão de Eduardo houve avanços significativos. “O governador se mobilizou muito, teve apoio do Governo federal e estamos bem melhor em comparação com oito anos atrás”, disse.
Não é o que pensa, por exemplo, o deputado Daniel Coelho, liderança tucana em ascensão no Estado. Há 15 dias, Daniel liderou uma caravana a Petrolina para mostrar projetos e obras desmontadas na gestão atual, como uma escola adotando rodízio de turmas por falta de estrutura.
A postura dele, portanto, é bem diferenciada da de Guerra, que continua mantendo permanente diálogo com o governador, o que parece não agradar a Daniel nem ao restante da bancada na Alepe.
ARMANDO LIDERA– Pesquisa do Instituto Opinião em Arcoverde aponta o senador Armando Monteiro Neto (PTB) na dianteira para governador com 24,3% das intenções seguido pelo deputado João Paulo (PT), que aparece com 8,5%. Em terceiro está o vice-governador João Lyra Neto (PDT), com 7,5% e em quarto o tucano Daniel Coelho, com 4%. O prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), que pode disputar pelo PMDB, tem 1,8% e o ministro Fernando Bezerra 0,8%.
Empate técnico– Já na disputa presidencial, o governador Eduardo Campos aparece empatado, tecnicamente, com a presidente Dilma em Arcoverde. O socialista tem 33,1% das intenções de voto contra 29,5% da petista. José Serra (PSDB) e Marina Silva (sem partido) aparecem empatados com 8,8% e 8,5%, respectivamente, enquanto o tucano tem apenas 0,5%.

O favorito– O Tribunal Superior Eleitoral deve anunciar, na próxima semana, a data da eleição suplementar para prefeito de Água Preta, na Mata Sul pernambucana. Ali, só uma catástrofe evita a vitória do pedetista Armando Souto, que já obteve mais votos na eleição passada, mas não assumiu por uma decisão da justiça até hoje não assimilada pela população.
Longo prazo– Aliados da presidente Dilma não ficaram apreensivos com o resultado da pesquisa CNI/Ibope. Consideram um ponto positivo: a petista parou de cair. Sobre uma eventual recuperação da sua imagem, preveem que nada se dará em curto prazo por causa da magnitude do fenômeno sociopolítico das manifestações de junho.
Ao mestre– O mestre Dominguinhos, que faleceu quarta-feira passada em São Paulo, ganha homenagem especial em Caruaru na próxima segunda-feira. A iniciativa é da Fundação de Cultura, a partir das nove horas, no Museu de Barro. Contará com a participação do Padre Bosco e dos jovens do projeto Fole Novo, além de sanfoneiros da região.

CURTAS
ROTEIRO ADIADO– O governador cancelou sua ida, na próxima segunda-feira, ao município de Dormentes, no Sertão do São Francisco. Ali, em nova data a ser marcada, inaugura o hospital Nossa Senhora da Paz e o trecho da estrada que liga Dormentes ao distrito de Lagoas.
PRÊMIO– Presidente da Associação Pernambucana de Atacadistas e dono da Rede Bonanza de Supermercados, o empresário Douglas Cintra, suplente de senador pelo PTB, recebe, na próxima terça-feira, o prêmio “Personalidade do ano” da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil.
Perguntar não ofende: Se Eduardo for candidato a presidente, o ministro Fernando Bezerra apoia?
'Pela misericórdia e verdade a iniqüidade é perdoada, e pelo temor do Senhor os homens se desviam do pecado'. (Provérbios 16-6)
blog do Magno martins 

Ex-prefeito de Caruaru condenado a quatro anos de prisão



Do blog de Wagner Gil

O ex-prefeito de Caruaru, Manoel Teixeira de Lima (sem partido), o Neguinho Teixeira, foi condenado a quatro anos e três meses de prisão por prática de crime previsto na Lei de Licitações (Nº 8.666/93). A pena será cumprida em regime semiaberto. A decisão do juiz Pierre Souto Maior, da 2ª Vara Criminal, foi publicada ontem.

Segundo a decisão, Teixeira dispensou licitação para realizar uma reforma na Câmara de Vereadores de Caruaru entre janeiro e agosto de 2007, época em que presidia o Legislativo. Em sua sentença, além de determinar a condenação, o juiz aplicou uma multa de R$ 36 mil.

De acordo com o processo, o ex-vereador e ex-prefeito fez a compra de materiais de construção sem licitação. A decisão também se baseou em um laudo técnico do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Ao determinar a condenação do ex-prefeito, o juiz Pierre Souto Maior destacou ainda que ele responde a outros três processos na 3ª Vara Criminal, inclusive com duas condenações que, juntas, somam sete anos e nove meses, todas elas pelo mesmo motivo: não cumprir a Lei de Licitações.

A semana foi de Eduardo




No momento em que praticamente todos os políticos estão colhendo os frutos – ou melhor, as pedras – da insatisfação popular, um deles escapou ileso. O pernambucano Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, que já havido sido reeleito com 82,8% dos votos em 2010 (a maior margem naquela disputa), foi apontado pela pesquisa CNI/Ibope como o melhor governador do Brasil, aos olhos do povo a quem governa.

Hoje, 58% dos pernambucanos apontam sua administração como ótima ou boa, o que não é pouco, quando se percebe que outros nomes também reeleitos com facilidade caíram abruptamente – o destaque maior é de Sergio Cabral, do PMDB, que foi a apenas 12%, no Rio de Janeiro. No plano presidencial, Dilma Rousseff caiu de 55% a 31%.

Objetivamente, a pesquisa CNI/Ibope deu a Eduardo Campos uma marca importante: a de "melhor governador do Brasil", que o empurra definitivamente para o jogo presidencial de 2014. Se até recentemente havia dúvidas sobre se ele conseguiria ou não sustentar sua candidatura até lá, na semana que passou elas foram completamente dissipadas.

Campos tem uma marca que poderá ser bem trabalhada e uma ambição política que não permitirá a ele se contentar com candidaturas menores ou mesmo com uma vaga de vice numa nova composição com o PT, seja com Dilma, seja com Lula – hipótese esta que também parece cada vez mais remota.

Antes mesmo que a pesquisa fosse divulgada, o pernambucano agiu concretamente como presidenciável. Afastou do comando do PSB em Minas Gerais o político Walfrido dos Mares Guia, que consegue ser ao mesmo tempo aecista e dilmista, e impôs ao diretório regional o nome do deputado Júlio Delgado (PSB/MG), um de seus fiéis escudeiros.

Além disso, praticamente determinou a candidatura de Marcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte, ao governo de Minas, para que tenha um palanque forte no segundo maior colégio eleitoral do País. Detalhe: Lacerda foi reeleito prefeito com apoio decisivo de Aécio, e não de Campos, que, em 2012, poderia sacrificá-lo numa composição com o PT.

No plano das coligações, ele também se aproximou fortemente do PDT. Ao que consta, ofereceu a vice, na sua chapa, ao ex-senador paranaense Osmar Dias e também prometeu apoio do PSB a candidatos do PDT em diversas disputas regionais, como no Mato Grosso, com o senador Pedro Taques (PDT/MT), no Distrito Federal, com o deputado federal José Antônio Reguffe (PDT/DF), em Alagoas, com Ronaldo Lessa, e no Amazonas, com Amazonino Mendes.

O movimento mais importante de Campos, no entanto, foi uma declaração recente relacionada à eventual substituição de Dilma por Lula. Segundo o governador pernambucano, o "Volta, Lula" seria um "atestado de incompetência", fechando a torneira de boatos sobre sua eventual participação numa eventual conspiração pelo retorno do ex-presidente.

De agora, em diante, o que deve vir do PSB são posições cada vez mais parecidas com a do governador Ricardo Coutinho, da Paraíba, que sempre se colocou favorável à candidatura Campos, e menos com as dos irmãos Gomes, no Ceará, que sabotam esse projeto, ou daqueles, como Renato Casagrande, no Espírito Santo, que ficam em cima do muro. O próximo passo do candidatíssimo Eduardo é a arrumação interna no PSB. Em seguida, a construção da campanha.

Leonardo Attuch

Portal 247
Escrito por Magno Martins,