domingo, 15 de setembro de 2013

Espiões da CIA agem livremente no Brasil, diz jornal




A atuação da inteligência americana no Brasil não se limita à espionagem eletrônica, revelada em documentos do ex-analista da NSA (Agência de Segurança Nacional, sigla em inglês) Edward Snowden. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, agentes da CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, trabalham livremente no País por meio da parceria entre a Embaixada americana e a Polícia Federal - formalizada por meio da assinatura de um memorando em 2010, mas ativa na prática desde muito antes disso. À época, a justificativa para o convênio era que o auxílio entre americanos e brasileiros serviria para o combate às drogas. Depois do 11 de Setembro, no entanto, o foco passou a ser o terrorismo.

Os americanos estão espalhados pelo Brasil atrás de informações sobre residentes no Brasil, brasileiros ou não. Policiais federais, militares da inteligência do Exército e funcionários do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República entrevistados dizem que eles dão a linha em investigações e apontam quem deve ser o alvo dos policiais federais. Os americanos mantêm escritórios próprios no Rio de Janeiro, com a justificativa da realização da Copa do Mundo e da Olimpíada de 2016, e em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, para vigiar a atuação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na fronteira.

Escrito por Magno Martins

Tricolor supera o Águia, vence por 3 x 2 e encosta no G4

Alívio! Santa Cruz vence o Águia/PA e faz a festa da torcida tricolor que lotou o Arruda
Jogando diante do torcedor coral após duas rodadas longe, o Santa Cruz venceu o Águia/PA por 3x2. Os gols do tricolor foram marcados por Éverton Heleno, André Dias e Dênis Marques. A vitória foi suada, como tem sido toda a campanha coral na competição nacional.
Com o resultado o Tricolor chegou aos 24 pontos em quinze jogos disputados. Agora, o Santa está a dois pontos dos quatro primeiros colocados, que garantem vaga na próxima fase do campeonato.
O TIME - Com cinco desfalques por suspensão e mais 3 por contusão, o técnico Vica teve de reformular a equipe. Ele promoveu as mudanças, alterou o esquema tático e, pela primeira vez na Série C, colocou o ataque formado pela dupla Dênis Marques e André Dias.
O Tricolor entrou em campo escalado da seguinte maneira: Tiago Cardoso, Éverton Sena, Leandro Souza e Vágner; Nininho, Sandro Manoel, Éverton Heleno, Raul e Panda; Dênis Marques e André Dias.
O JOGO - Na oitava posição, há quatro pontos do G4 do Grupo A, a equipe Tricolor entrou em campo bastante pressionada, com o claro objetivo de vencer o Águia e retomar o rumo na competição.
Contando com o apoio maciço do Torcedor, que lotou as arquibancadas do Arruda, o time procurou fazer valer o mando de campo e partiu para cima do Águia. Só a vitória interessava e o Santa Cruz deixou isso claro logo de cara.
Pressionando o adversário no próprio campo de jogo, não demorou para o Tricolor celebrar a imposição ao adversário. Aos sete minutos, o meia Raul encontrou o volante Éverton dentro da área, que se livrou dos marcadores e mandou a bola no fundo do gol, para o delírio do torcedor presente nas arquibancadas.
Abrindo o placar logo nos primeiros minutos de jogo, a expectativa era a de o Santa Cruz não ter dificuldades na partida. Entretanto, a medida em que o jogo foi se desenrolando, o jogadores corais não conseguiram manter o ímpeto inicial e acabaram sendo penalizados com um revés.
Aos 25 minutos, por conta de uma troca de passes mal sucedida entre Éverton Heleno, que acabou sentindo contusão e foi substituído por Leozinho, e Dênis Marques, o Águia acabou ganhando um contra-ataque. O atacante Kenno foi conduzindo a bola até a entrada da área e encobriu o goleiro Tiago Cardoso. Empate inesperado.
Com um resultado indigesto no placar, o nervosismo acabou se abatendo ao tricolor. Em busca da reação, os tricolores bem que tentaram, levando perigo sobretudo nos minutos finais, mas nada que fosse suficiente para desempatar a partida. E o primeiro tempo terminou com a igualdade no placar.
SEGUNDO TEMPO - Para a etapa final, era vencer ou vencer. Com as devidas orientações do técnico Vica os jogadores regressaram ao campo de jogo com uma volúpia ainda maior, em busca do segundo gol.
Literalmente “engolindo” o Águia, o Santa Cruz conseguiu desempatar aos 10 minutos. Do meio da intermediária dos paraenses, Raul deu belo passe de calcanhar para André Dias, que invadiu a área e mostrou todo o seu faro de artilheiro. 2x1 no placar, para a explosão do Arruda.
Na sequência, o time Coral tinha como objetivo conter qualquer reação do adversário e buscar situações para ampliar a vantagem. Encarando um concorrente direto ao G4, o adversário tratou de mostrar porque briga pelas primeiras posições. O Tricolor encontrou dificuldades.
Tendo de se desdobrar para conter o ímpeto do rival e ainda ampliar o placar, o time Coral demonstrou aplicação e não se negou a assegurar o resultado. Com muita gana, os jogadores Corais procuraram manter a pose de bola e se projetaram ao campo defensivo do adversário.
Na base da pressão, deu para ampliar o placar. O terceiro gol foi de Dênis Marques, que após bate rebate dento da pequena área, fez o que dele se espera e mandou a bola para o fundo do gol. 3x1, para selar a vitória maiúscula.
No entanto, o que parecia estar tranquilo ganhou ares de suspense no final do jogo, quando Mal, já nos acréscimos fez o segundo gol do Águia. Todo o estádio ficou em uma apreensão só, esperando o apito final.
E na base da raça, vontade e da garra, o Santa Cruz deu o primeiro passo para reabilitação na Série C. Restando cinco jogos, o Tricolor terá pela frente, fora de casa, no próximo domingo (22), o Baraúnas/RN, que está lutando contra o rebaixamento à Série D.
Fonte: Agência CoralNET de Notícias