quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Vítima de tentativa de homicídio não resiste e falece no HRA em Caruaru


A vítima sofreu a tentativa de homicídio na última segunda-feira (28). Foto: Fernando Lagosta.

Foi confirmada na noite desta quarta-feira (30) a morte de Cícero Pedro da Silva, mais conhecido por “Tito” (37 anos) que foi atingido por três disparos de arma de fogo na noite da última segunda-feira (28) na Rua Bahia, bairro Cruz Alta em Santa Cruz do Capibaribe.

O óbito de Cícero foi confirmado através de informações de familiares, que revelaram que ele não teria resistido aos ferimentos e veio a falecer no início de hoje no Hospital Regional do Agreste (HRA) em Caruaru.
Relembre o caso

Na ultima segunda-feira, Cícero Pedro da Silva estava próximo a sua residência quando um elemento a pé se aproximou e efetuou alguns disparos, sendo atingido por dois tiros, no tórax e um no quadril.

A vítima ainda tentou fugir por dentro de um canal, porém acabou caindo na Avenida Bela Vista, onde foi socorrido para a UPA de Santa Cruz e encaminhado para o Hospital Regional do Agreste (HRA).

Segundo a polícia, Cícero já teve passagem pela polícia por tráfico de drogas, em março de 2014.

Collar Blog Jataúba News

Setembro vem com gás de cozinha mais caro

ARQUIVO ENGEPLUS

A Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (ASMIRG-BR) distribuiu nota informando sobre a previsão de aumento do gás de cozinha, previsão apontada pelas companhias distribuidoras para setembro. 

Em documento encaminhado ás revendas, o anuncio refere dois aumentos, um da Petrobras, tomado como certo de 15%, e o segundo, das próprias companhias distribuidoras, referente a futuros acordos coletivos que irão entrar em negociação.

"O aumento da Petrobras, embora praticado no preço de compra das companhias, chega no mesmo percentual no preço de vendas das distribuidoras. Considerando real o anúncio divulgado que a Petrobras coloca um aumento de 15%, refere-se a uma correção equivalente a R$ 2,25, Mas seguindo as mesmas formas adotadas nos últimos aumentos pelas distribuidoras, o aumento real que as revendas terão é de R$ 6,25", aponta o presidente da ASMIRG-BR, Alexandre Borjaili.

Considerando as médias dos anos anteriores nesta mesma época, o aumento devido a futuros acordos coletivos, antecipados, chega de 10% do preço de compra da revenda. As revendas e o consumidor brasileiro devem sentir um aumento no preço do botijão de gás de cozinha nesta realidade próximo dos R$ 12, sem contar os valores arredondados a mais pelas distribuidoras, justificados por ser um preço livre e necessidades de ajustes de custos. 

“A ASMIRG-BR alerta para o risco deste aumento, inicialmente suposto em 15% pela Petrobras que equivale a R$ 2,25, mas por tratarmos de um preço livre, sem interferência do Estado Brasileiro, estes valores, com muito otimismo, deve chegar a R$ 10 para nossas revendas”, conclui o presidente