quarta-feira, 18 de maio de 2016

Agentes Comunitários de Saúde aderiram à paralisação nacional e cobram seus direitos


Reajuste de salário e férias atrasadas são as principais reivindicações


Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) do Brejo da Madre de Deus, aderiram à paralisação nacional da categoria que acontece nesta quarta-feira (18) de maio. Eles caminharam carregando faixas e promoveram um apitaço que chamou a atenção da população pela Avenida Cleto Campelo, Trevo da entrada da cidade e passaram pela prefeitura, concentrando na Academia da Saúde em frente a policlínica.


O presidente da Regional dos ACS, Antônio Genilson de Jataúba, esteve presente a fortaleceu a manifestação.


“Estamos fazendo uma manifestação em prol da nossa categoria, essa é uma manifestação a nível nacional. Estamos reivindicando nossos direitos que são salários e outros benefícios que merecemos como profissionais”, destacou.


Antônio Genilson presidente Regional dos ACS

A presidente da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde em Brejo da Madre de Deus, Soledade Marinho, explicou que além de cobrar o reajuste salarial, eles também reivindicam outros direitos.

“Já fazem três anos que não temos reajustes e por isso paralisamos em todo país para cobrar o reajuste em nossos salários. E além disso, aqui em Brejo, estamos protestando também por férias atrasadas. Temos profissionais com 4 férias e isso não pode acontecer. Estamos aguardando uma resposta da secretária de Saúde do município, que inclusive, ficou de mandar um ofício para o Ministério Público até a próxima sexta-feira dia 20. A partir de amanhã, vamos formar uma comissão para cobrar essa férias que estão acumuladas”, disse.


Soledade marinho presidente da Associação dos ACS

Segundo Seledade, os ACS também sofrem com humilhações e falta de credibilidade por parte dos superiores.

“Não temos apoio e somos muito humilhados. A humilhação é grande com a gente por parte do enfermeiro. Tudo que pedimos ou solicitamos parece até que estamos mentindo, e o que falamos está errado. É como se a gente nunca tivesse falando a verdade pra eles. Queremos um superior que seja por a gente e não fique nos entregando para a comunidade. Isso nos deixa desacreditado. Desacredita o nosso trabalho. Se trabalhamos para a comunidade ela tem que acreditar no que falamos e orientamos e no que fazemos”, desabafou.


Os Agentes Comunitários de Endemias (ACE) do Brejo da Madre de Deus são filiados ao SINDACSE e foram para Caruaru na manhã desta quarta-feira. Eles participaram de uma manifestação que bloqueou a BR-232. A luta dos ACE é também pelo reajuste salarial.


Agentes Comunitários de Endemias do Brejo da Madre de Deus na BR-232 em Caruaru após o protesto na manhã de hoje


O protesto na BR-232 participaram ACS e ACE de várias cidades

Veja mais fotos da paralisação dos ACS em Brejo da Madre de Deus:



Do Estação Notícias




Quatros suplentes pernambucanos tomam posse na Câmara Federal



Os suplentes que tomaram posse ontem são Severino Ninho (PSB), Creusa Pereira (PSB), Guilherme Coelho (PSDB) e Roberto Teixeira (PP). Severino Ninho já estava em campanha há um bom tempo para disputar a vice-prefeitura de Igarassu, sua terra, na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Yves Ribeiro (PSB), Creuza Pereira (PSB) é ex-prefeita de Salgueiro, Guilherme Coelho detém o mandato de vice-prefeito de Petrolina, já Roberto Teixeira é ex-vereador do Recife e já ocupou uma cadeira na Câmara Federal. 

Eles assumem após deputados pernambucanos integrarem ministérios do governo Temer. Raul Jungmann (Defesa), Fernando Filho (Minas e Energia), Bruno Araújo (Cidades) e Mendonça Filho (Educação). 

Porém informações dão conta que que Paulo Câmara estuda enviar Danilo Cabral para Câmara Federal para reforçar poder do PSB de Pernambuco em Brasília.


Blog Direto ao Ponto


Bruno Araújo revoga portaria que financia construção de 11 mil moradias do “Minha Casa, Minha Vida” por movimentos sociais


Foi publicado nesta quarta-feira (18) a revogação de uma portaria que atinge em cheio entidades que seriam beneficiárias do programa “Minha Casa, Minha Vida” em todo país. A portaria que, habilitava a construção dos imóveis através desse sistema, para famílias que ganhem até R$ 1800,00, foi revogada pelo novo Ministro das Cidades, Bruno Araújo.
Para quem não conhece, o “Minha Casa, Minha Vida – modalidade entidades”, foi criado em 2014 noGoverno Dilma Rousseff (PT) e permitia a liberação de financiamento direto para famílias de baixa renda que estivessem organizadas em cooperativas habitacionais, associações ou em movimentos sociais a exemplo do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto – MTST.

As associações e os movimentos sociais teriam liberdade para contratar as construtoras ou construir as casas por meio de mutirões. Já no restante do programa, os repasses dos recursos são feitos, de forma parcelada, diretamente as construtoras à medida que os imóveis são construídos.

Com a revogação da portaria, cerca de 11.200imóveis que estavam previstos para serem construídos nesse sistema ainda este ano tiveram seus recursos cancelados e a repercussão dessa medida já pode ser vista também na esfera local.

Em Santa Cruz do Capibaribe, o prefeito Edson Vieira (PSDB) assinou, no último domingo (15), o termo de doação de uma área de 11 mil metros quadrados para o MTST, que viabilizaria, segundo integrantes do movimento, a construção de 416 imóveis populares.

De acordo com o ministro, a justificativa para a revogação do ato, que foi assinado pela presidente afastada Dilma Rousseff, que também autorizava a contratação para mais 25 mil moradias (além das já previstas), teria sido motivado porque ela teria assinado o ato sem a disponibilidade de recursos em caixa.

Blog do Ney Lima