sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Coluna do dia. Critíticas

Não sou jornalista e nem tenho esta pretensão, o que escrevo é baseado no que presencio, ouço ou alguém me passa, ja até escrevi alguns textos para reportagens a pedido de amigos, mas não é muito minha praia, o que tento ser na verdade é um colunistas que coloco meu ponto de vista em relação a alguns fatos.

Esta semana fui parabenizado por falar bem do prefeito de nossa cidade, nada mais justo que eu falar bem dele, ele esta trabalhando, pode até não ser da forma que eu queria ou imaginava, mas o fato é que ele esta trabalhando, e como eu escrevi lá atrás quando isso viesse a acontecer eu o parabenizaria, seria hipocrisia de minha parte fechar os olhos aos fatos.

O que ja não se pode eleogiar é a atuação pífia de alguns vereadores de situação, todo o trabalho feito pelo Gestor Municipal vai por água abaixo se for levado em consideração a atuação de seus vereadores, chega a dar pena de Galego, entre 7 somente ele leva pancada, deve ser porque apenas ele se nanifesta para defender a atual gestão.Lógico é que se espera delea, mas não somente dele todos ali deveriam se manifestar.

O chato é ter que aguentar nossos representates entrarem mudos e sairem calados, ou pior uns até riem dessa vergonha, ou a relatora de um Projeto de Lei não compreendê-lo, é o que se passa quando se pede informações sobre o projeto e a relatora apenas balança a cabeça negando a informação, negando porque estou sendo bonzinho, ela não deve saber mesmo.

Ontém ouvi alguém dizer na porta da Câmara de Vereadores "se é pra falar merda melhor ficar calado", não pode ser assim, eu acredito no debate, apenas através dele se faz compreeender os pontos de vista, é inadimísivel se apresentar algo e empurrar guela abaixo de alguém se defender a idéia, e sinceramente quem apóia algo assim devia se envergonhar de tanta soberba e prepotência por parte de alguns.

Resumindo não sou reporter, apenas um colunista meia boca que escreve sobre fatos de nosso cotidiano.


Colunista Marcelo de oliveira neto 

Momento bíblico.

Números no CE reafirmam necessidade do Mais Médico


Só 10% das 834 vagas do programa Mais Médicos no Ceará foram preenchidas por profissionais do próprio estado, de acordo com Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo. Somando os 86 médicos cearenses que se inscreveram para outras regiões, 106 postos foram ocupados por brasileiros. E 728 ficaram vazios. O Ministério da Saúde divulga nesta quinta-feira (29) o número de estrangeiros que será enviado ao interior do estado para preencher essas centenas de vagas.
O Ceará virou símbolo da resistência de médicos brasileiros ao programa depois que os cubanos foram chamados de “escravos” por vários deles numa manifestação na última segunda-feira (26), em Fortaleza. A adesão de prefeitos ao Mais Médicos, no entanto, foi maciça. Das 184 cidades do Ceará, 150 aderiram ofereceram vagas para a contratação de profissionais.
O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB) lamentou o que ocorreu. “A carência de médicos é incontestável.” Ele diz que, ao receber os cubanos no aeroporto, reencontrou um dos profissionais que contratou para trabalhar em Sobral quando era prefeito da cidade, na década passada. “As vagas agora foram oferecidas aos brasileiros e eles não quiseram. Esse momento de passionalismo e radicalismo é esquisito. Precisamos fazer uma terapia coletiva no país

Bruno Araújo justifica filmagem de voto de cassação

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB), que causou polêmica por filmar seu voto a favor da cassação do também deputado Natan Donadon (sem partido-RO), preso desde junho, justificou seu ato porque “desconfiou” que a noite poderia terminar com “um resultado ruim” para a Câmara. “Percebi que estamos no limite da relação institucional e que poderia ficar pior se houvesse o que houve. Precisava me proteger e proteger meus eleitores”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, ele deu preferência a eventual transgressão com o princípio dentro da transparência da posição tomada. O tucano garantiu que se sente protegido e acolhido pela decisão da transparência.

Segundo Araújo, ele não teme um processo disciplinar. Disse também que se houver algum deputado com disposição de formalizar o pedido vai proporcionar o debate a respeito do fim do voto secreto para processo de cassação. Para ele, as pessoas vão poder se posicionar – de um lado quem acha que a transparência é mais importante do que as formalidades, do outro quem acha mais importante manter o voto secreto para continuar “se escondendo dos verdadeiros interesses da sociedade brasileira”.

Para ele, casa haja algum parlamentar que tenha essa disposição para abrir como, segundo o tucano, foi ventilado, ele se coloca tranquilo para colaborar. Araújo afirmou ainda que “Tenho ao meu lado o bom senso e a sintonia com os anseios da sociedade”, disse.

O parlamentar também sinalizou que esse não será um fato isolado. “Enquanto houver voto secreto, inclusive para os próximos, mesmo que o Congresso não tenha até então mudado, irei continuar registrando meu voto. É uma forma de fazer valer o que creio que está em sintonia com o Brasil de hoje”, disse Bruno Araújo.

Blog da folha.

Sera que ainda vamos ter coragem de votar neste ai ainda.

Um tapa na cara da sociedade 

A relação vinha bem desgastada, regada a impaciência e a gritos ensurdecedores (das ruas). Na última quarta-feira, a Câmara Federal decidiu que não valia a pena salvar o pouco que restava e, como se não faltasse mais nada no histórico de agressões (ainda que verbais ou por gestos silenciosos), deu um tapa na cara da sociedade. Não se preocupou com o que sua suposta “parceira” (a população) ia achar. Os deputados federais foram às últimas consequências: absolveram um deputado preso na Papuda, condenado pelo STF por desvio de R$ 8 milhões. A decisão soou como a última tentativa dos parlamentares de fazer o povo entender: a opinião pública de nada vale (para eles). Para bom entendedor, uma absolvição desse tipo basta. Com o feeling de quem já foi líder, o deputado Bruno Araújo sentiu que a coisa ia descambar e abriu um precedente: filmou seu voto a favor da cassação de Natan Donadon. Ontem, cogitou-se condenação para o tucano. Só pode ser pegadinha.


A decisão soou como a última tentativa dos parlamentares de fazer o povo entender: a opinião pública de nada vale (para eles)



Por Renata Bezerra de Melo
Da Coluna Folha Política

Trabalhador ameaça paralisar atividades


Trabalhadores de todo o Brasil se preparam para o Dia Nacional de Mobilização e Paralisação, comemorado hoje. Em Pernambuco, os rodoviários, funcionários da rede privada e servidores da rede municipal, estadual e federal prometem parar. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) utilizou panfletos para anunciar a paralisação e convocar todos para participar. De acordo com o presidente da CUT/Pernambuco, Carlos Veras, em meio aos anseios de cada categoria, eles reivindicam a negociação da pauta trabalhista unificada.

Entre as solicitações estão o fim do fator previdenciário, a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, o não ao projeto de Lei 4.330, que permite a terceirização de atividades fins; 10% do PIB para a educação e 10%do orçamento da União para a saúde, além de reforma agrária. “Algo tem feito os trabalhadores de Pernambuco se mobilizarem. Confirmamos a participação de trabalhadores da Educação, parte dos trabalhadores da área de Saúde, Previdência Social, Reforma Agrária, de várias esferas. Funcionários de Suape também vão aderir”, destacou Veras.

O presidente da Oposição dos Rodoviários, ligada à CUT, Juscelino Macedo, informou que haverá paralisação geral da categoria na manhã de hoje. De acordo com ele, a concentração acontece às 7h, no parque Treze de Maio, quando o grupo irá se reunir com funcionários da empresa Contax. Ele informou que a categoria não permitirá a entrada dos coletivos que estiverem circulando no Centro. Eles pretendem, ainda, seguir para os terminais integrados de passageiros. Durante a tarde, a Oposição Rodoviária de Verdade, ligada à central CSPConlutas, irá se reunir comoutras centrais sindicais em frente à Câmara do Recife.

Por Priscilla Aguiar e Wagner Santos
Da Folha de Pernambuco e do FolhaPE

TSE pede que reforma política atenda aos anseios da sociedade




A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia, disse nesta quinta-feira (29) que o Congresso Nacional precisa trabalhar numa proposta de reforma política que atenda aos anseios da sociedade. A ministra participou hoje da primeira sessão temática sobre o assunto no plenário do Senado Federal.

Aos senadores, Cármen Lúcia destacou que a resposta que será dada pelos parlamentares à questão terá de “garantir a confiança das instituições pelo povo”. Ela também reconheceu a dificuldade de se chegar a um consenso num parlamento tão numeroso – 513 deputados e 81 senadores.

Questionada pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), a presidente do TSE comentou pontos importantes que estão sendo discutidos no âmbito da reforma política. Sobre financiamento de campanha, por exemplo, disse que seria um avanço significativo se apenas as pessoas físicas contribuíssem, já que somente o cidadão, que é pessoa física, vota.

O fim da suplência para senadores também foi comentado por Cármen Lúcia. “A ideia de um suplente é que ele seja escolhido sem que haja relação de parentesco”. Para a ministra, esse seria um caminho juridicamente coerente com a Constituição Federal, que já não permite mais nepotismo no serviço público.

A ministra também ressaltou que tudo que vier para moralizar e diminuir gastos para o eleitor e para os candidatos “vai bem”. Ela também considerou que as prévias fortalecem os partidos e são bem-vindas para os cidadãos.

Na chegada ao Senado, a presidenta do TSE foi cautelosa ao falar sobre a absolvição do deputado Natan Donadon (sem partido-RO) ontem (28), pela Câmara dos Deputados. "Se o resultado agradou ou não, aí compete ao povo dizer [nas próximas eleições]”. "O que o Congresso entendeu que deve ser feito, foi feito. O STF fez o papel de julgar. Cassação ou não é competência do Congresso", avaliou.


Com informações da Exame.
Escrito por Magno Martins

A guerra médica




O governo e a presidente Dilma começam a ganhar a guerra da importação de médicos. E, para isso, estão contando muito mais com os erros dos adversários do programa, liderados pela corporação médica, do que pelos resultados, que ainda levarão algumas semanas para aparecer.

Na tarde de ontem, o senador petista e ex-ministro da Saúde Humberto Costa fez um discurso que a oposição não contestou, afirmando que o programa será vitorioso, já sendo apoiado pelas populações que serão beneficiadas. Condenando o festival de xenofobia em relação aos médicos cubanos, chamados de escravos por colegas brasileiros, recordou a declaração da jornalista Micheline Borges nas redes sociais:

“Me perdoem se for preconceito, mas essas médicas cubanas têm uma cara de empregada doméstica.” “Feliz será o dia”, disse Costa, “e eu tenho certeza de que não vai demorar, em que a maioria dos médicos do nosso Brasil serão filhos de empregadas domésticas, de pedreiros, filhos do povo. Aí sim, começará uma grande mudança social em nosso pais”. Costa convidou seus colegas a baixar as armas e aceitar o debate sobre a MP no Congresso.

O senador Humberto Costa foi declarado “persona non grata” pelo CRM de Pernambuco. O relator da MP do Programa Mais Médicos, deputado Rogério Carvalho, recebeu ontem um telegrama do CRM de São Paulo dando-lhe 30 dias para reassumir o posto de médico do Estado, função da qual está licenciado sem remuneração para exercer o mandato, como garante a Constituição. “Estou indignado. Isso é retaliação, é cerceamento do mandato popular”, protestou ele. Essas bobagens estão contribuindo para isolar a classe médica e garantir apoio ao programa em que Dilma apostou, e com o qual acabará resgatando mais pontos da popularidade perdida.

TEREZA CRUVINEL
Escrito por magno martins

Combustível é termômetro da popularidade de Dilma



 

As três questões básicas que vão definir quando e de quanto vão ser os reajustes dos combustíveis são câmbio, inflação e os efeitos da provável intervenção na Síria sobre o preço do petróleo. Mas não se pensa em correções de dois dígitos. Os cálculos de uma defasagem entre preços internos e externos da ordem de 30% não são avalizados pelo Planalto. O dilema sobre o reajuste do preço é político e econômico. Segundo aliados do governo, pesquisas internas indicam que a popularidade da presidente Dilma Rousseff está em recuperação. Teria saltado de 36% para 43%, sob o impulso do Mais Médicos.

Um aumento da gasolina e do diesel agora poderia abortar esse processo e impor prejuízos à campanha de reeleição. Assessores oficiais garantem, porém, que a decisão de reajustar gasolina e diesel está tomada.(VALOR)


magno martins

PT: pacto Eduardo-Aécio dará dobradinhas em todo país


 

Petistas calculam que a aproximação de Eduardo Campos (PSB) com Aécio deverá resultar em dobradinhas de Beto Richa e Ratinho Jr., no Paraná, e Geraldo Alckmin e Márcio França, em São Paulo, além de possíveis acordos no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais, segundo Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

"Nunca escondi que gostaria muito de um dia estar construindo uma nova agenda para o Brasil, iniciando um novo ciclo de eficiência na gestão pública, de ética, de transparência e resultados concretos ao lado do governador Eduardo Campos", disse Aécio após jantar ontem à noite na residência do governador pernambucano.

Aécio procurou ressaltar semelhanças com Eduardo e criticou o governo Dilma Rousseff. "Há pouca generosidade do governo federal no respeito à Federação. E esse é um discurso que tem unido a mim e o governador Eduardo", afirmou.