quarta-feira, 4 de setembro de 2013

charge do dia

Estrangeiros avaliam preços durante Copa das Confederações

Mais de um terço dos estrangeiros que vieram ao Brasil para a Copa das Confederações, em junho, consideraram caros os preços de passagens aéreas (38,4%), diárias de hotel (34,7%) e táxi (31,4%). A pesquisa feita pela Embratur ouviu 537 turistas nas seis cidades-sede, de acordo com Mônica Bérgamo, da Folha de São Paulo.

Numa segunda avaliação, sobre infraestrutura, os aeroportos foram considerados ótimos por 21,5% e bons por 45,1%. Táxis foram ótimos para 15,9% e bons para 45,4%. Segurança pública foi avaliada ótima por 15,2% e boa por 39,8% dos torcedores entrevistados. A pior nota coube ao transporte público, apontado como ruim por 3,6% e péssimo por 9,1%.

Já em outro setor, o de serviços, os itens melhor avaliados foram restaurantes e bares (29% ótimo e 50,5% bom). Locais de shows e opções de lazer tiveram 25,2% (ótimo) e 58,2% (bom). O destaque negativo foi a apresentação de menus em outro idioma, considerada péssima por 8,6% e ruim por 19,6% dos estrangeiros entrevistados

Recife registra redução recorde de homicídios




Geraldo Julio reuniu-se com o sociólogo e ex-secretário de Segurança e Convivência de Bogotá, na Colômbia, Hugo Acero (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

O Recife registrou seu melhor índice de redução de homicídios da série histórica em agosto de 2013. De acordo com informações da Prefeitura do Recife (PCR), foram contabilizados 28 casos ante a 53 ocorrências no mesmo período de 2012. Isso representa uma diminuição de 47%. Além disso, o município registrou 13 dias sem homicídios durante o mês de agosto passado.

Entre outras ações para atuar na redução dos índices de homicídios no Recife, a PCR lançou em julho deste ano o Pacto pela Vida municipal. O programa vai atuar em 13 bairros prioritários da cidade, que concentram 42% dos homicídios registrados em 2012. Além disso, também iniciou o programa Eu Amo Meu Bairro, que vai premiar a localidade que mais se destacar com R$ 300 mil em obras de equipamentos de convivência, difusão cultural ou atividades esportivas.

Acero – Na tarde desta terça-feira (3), Geraldo Julio reuniu-se com o sociólogo e ex-secretário de Segurança e Convivência de Bogotá, na Colômbia, Hugo Acero. Os dois gestores conversaram sobre políticas públicas para o segmento, além de medidas de prevenção, controle e mediação da violência na cidade. Também participaram do encontro o secretário de Segurança Cidadã do Recife, Murilo Cavalcanti, e seu secretário-executivo, Eduardo Machado.

Acero, que já esteve outras vezes no Recife, pontuou que a mudança no aspecto de segurança da cidade é visível. “O que eu vejo hoje, e que me chama atenção, são os resultados expressivos de mudança. O prefeito está assumindo um tema que é muito importante para a cidadania; e que os prefeitos devem se importar ainda mais. E o melhor, está gerando resultados. Recife e Pernambuco estão mostrando ao Brasil que se pode enfrentar a violência com políticas públicas de qualidade, com o trabalho de equipe, e que eu sinto que é a essência dessa cidade e um exemplo para toda a América Latina”, afirmou.

Fonte Blog da folha

Planalto: alerta de protesto violento no 7 de setembro

 

O governo federal detectou por meio de monitoramento das redes sociais ameaças de radicalização por parte de grupos como o "Black Bloc" nas manifestações de rua previstas para o Sete de Setembro. Segundo o estudo, há risco de atos de violência pela manhã no desfile militar da Esplanada dos Ministérios, que terá a presença da presidente Dilma Rousseff, e no jogo entre Brasil e Austrália, que será realizado no estádio Mané Garrincha, às 16h15.
Conforme a Folha antecipou ontem, Dilma mandou reforçar a segurança no desfile justamente para tentar evitar atos de vandalismo. O governo também recebeu alerta de protestos violentos no Rio Janeiro.
Apostando no que chama de o "maior protesto da história do Brasil", o Anonymous -- formado por pessoas que se identificam por meio de apelidos e usam máscaras similares à do filme "V de Vingança" -- promete manifestações em 140 cidades. Na pauta de reivindicações, o fim do voto obrigatório, a saída de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado e a prisão imediata dos condenados no mensalão.

Opinião deste blog

Nada se pode duvidar. Depois de saírem pacificamente as ruas e terem seus pedidos simplesmente ignorados pelo poder maior, a população, ao que parece, sairá as ruas agora nem tão pacificamente. Quando será que os políticos deste país entenderão que são apenas representantes populares e não o poder? (collar)

Senado Federal instala "CPI da Espionagem"



Os senadores Vanessa Graziotin (PCdoB-AM) e Ricardo Ferraço (PMDB-ES) foram eleitos presidente e relator, respectivamente, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado destinada a investigar atos de espionagem de instituições e autoridades brasileiras, especialmente a presidente Dilma Rousseff (PT). Com uma hora de atraso, a CPI foi instalada nesta terça-feira (3).

"Esse assunto tem que ser tratado com a máxima responsabilidade e tratar do reforço da segurança dos sistemas de informação", disse o senador Roberto Requião (PMDB-PR,) que presidiu a sessão de instalação.

Presidente e relator foram eleitos por consenso. A oposição indicou o senador Pedro Taques (PDT-MT), eleito vice-presidente. Ferraço agora vai fazer um plano de trabalho.

Denúncia - A comissão aprovou proteção da Polícia Federal ao jornalista Glenn Greenwald, responsável pela denúncia do sistema de espionagem dos Estados Unidos em território brasileiro, e de seu companheiro, David Miranda.

O relator ainda pretende ouvir o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que esteve recentemente em solo norte-americano para discutir o problema da espionagem.


Com informações do Valor.

Político não merece um tratamento preferencial



Não bateu bem no STF a notícia de que o governo do Distrito Federal está reformando um centro penitenciário para prover instalações diferenciadas aos prisioneiros ilustres do regime semi-aberto – no julgamento do mensalão há 11 condenados nesse regime. O ministro Marco Aurélio Mello diz que o sistema prisional brasileiro carece de melhorias. Mas não considera razoável que tais melhoramentos sejam feitos sob medida para os prisioneiros notórios.

“O político não merece, por ser político, um tratamento preferencial. O tratamento deve ser igualitário para todos os cidadãos. Não concebo que sejam construídos ou reformados [os presídios] só para abrigar políticos, até porque não há tantos políticos condenados assim.”