quarta-feira, 6 de março de 2013

Venezuela terá eleições em 30 dias oposição pede união




Nicolas Maduro é presidente interino; declaração foi feita pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela, Elías Jaua, logo após a morte do presidente; "Foi o mandato que o comandante-presidente Hugo Chávez nos deu", disse; em comunicado, Henrique Capriles adota discurso conciliador: "fomos adversários, nunca inimigos"

DA AGÊNCIA LUSA

Brasília - O ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela, Elías Jaua, anunciou hoje (6) que, em função da morte de Hugo Chávez na terça-feira (5), o vice-presidente, Nicolas Maduro, assumirá o cargo de presidente interino e que dentro de 30 dias haverá eleições presidenciais. "Foi o mandato que o comandante-presidente Hugo Chávez nos deu", disse Jaua ao canal de televisão Telesur.
Jaua não especificou se a eleição seria realizada dentro de 30 dias ou se a data seria escolhida neste prazo. O governo da Venezuela e a oposição apresentaram, nos últimos meses, interpretações divergentes da Constituição no caso da morte de Chávez, que foi reeleito presidente em outubro.
O líder da oposição Henrique Capriles, que perdeu as eleições para Chávez, pediu ao governo para "agir estritamente no âmbito do seu dever constitucional". A oposição defende que a Constituição indica que o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, deve assumir a liderança do país no caso de morte do presidente.
Mas antes de ir para Cuba para uma nova operação de câncer em dezembro, Chávez disse que Maduro devia assumir o poder caso ele ficasse incapacitado.
A Constituição indica que o presidente da Assembleia Nacional deve assumir o poder se o presidente morrer antes de tomar posse do novo mandato. Chávez não compareceu à posse agendada para 10 de janeiro, mas o Supremo Tribunal aprovou um adiamento e decidiu que não haveria interrupção entre governos.
Oposição
Opera Mundi - O candidato derrotado por Hugo Chávez na última eleição venezuelana e possível adversário do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela), Henrique Capriles, voltou à Venezuela e leu, ao lado de seus correligionários, um comunicado da coligação opositora MUD (Mesa da Unidade Democrática) sobre o falecimento do presidente.
"Presidente Hugo Chávez, fomos adversários, nunca inimigos. Esta é uma mensagem de respeito e solidaridade. É uma mensagem a todos os venezolanos, sem discriminações, sem exceções", disse o opositor, que também é governador do Estado de Miranda.
"Esperamos que o governo atue com estrito apego ao seu dever constitucional (...) Esta não é hora de diferenças, é hora de paz, é hora de união, de compromisso e de demostrar nosso profundo amor pela Venezuela.
"Venezuela pede a todos que estejamos à altura das circunstâncias. Com unidade, assumimos esse compromisso", afirmou.
Pouco antes, usou o microblog Twitter para comentar morte de seu arquirrival político.
"Minha solidariedade à toda a família e aos seguidores do presidente Hugo Chávez. Defendemos a união dos venezuelanos neste momento", escreveu, preferindo adotar um tom mais conciliador.

Chávez: Apenas um caudilho ou autêntico bolivariano?


A morte do polêmico presidente venezuelano, Hugo Chávez, no final da tarde de ontem (6), motivou uma série de manifestações de diferentes aspectos. Enquanto os entusiastas do modelo bolivariano – sempre exaltado pelo falecido dirigente – lamentavam, consternados, a perda, houve quem chegasse a comemorar, nas redes sociais, o falecimento do que chamavam de maior expressão do caudilhismo na América Latina.

A diferença de tratamento também foi percebida na cobertura realizada pelos meios de comunicação que preferiram se posicionar de forma mais aguda sobre o governo e o legado chavizta. As palavras “ditador” e “populista” foram empregadas, claro, pelos maiores críticos, que sempre acusaram Chávez de ser um gestor personalista que utilizava da força, inclusive contra a própria imprensa, e de contradições econômicas para seguir à frente do seu país.

Já alguns veículos se inclinaram pela valorização das mudanças sociais, com foco nas saúde e educação públicas, implementadas durante o governo chavizta e do alto grau de popularidade conquistado pelo gestor, dentro e fora do seu país.

A conturbada relação política da Venezuela com os Estados Unidos e as dificuldades sociais vivenciadas por sua população sempre receberam olhares e análises distintos.E, com a morte de Hugo Chávez, não seria diferente. O caráter satânico atribuído pelo falecido presidente ao chamado imperialismo americano acumulou simpatizantes por toda a América Latina. O dirigente se tornou o líder de um novo movimento inspirado em Simón Bolívar.

Contudo, a manutenção das relações comerciais com o mesmo “demônio” americano, curiosamente, maior mantenedor da economia venezuelana com compra do seu principal produto: o petróleo, possibilitou a concepção de que Hugo Chávez conseguia, no paradoxo, o caminho para a manutenção/perpetuação do seu próprio modelo bolivariano. A balança entre as contradições de Chávez e o legado de sua política-econômica, com certeza, serão bem explicados pela História.

Mais um crime de morte em caruaru desta vez se trata de um ex: presidiário.

O homicídio aconteceu por volta das 13:30h, desta terça-feira (05), na Rua Luiz Geraldo Torres Damasceno, no bairro Maria Auxiliadora. A vítima, o catador de recicláveis, David Laurentino Barbosa da Silva, vulgo “Pipí” tinha 22 anos, era amasiado e residia na Rua Topázil, no bairro Centenário.
A vítima que já teve passagens pela polícia por roubo e porte de arma, era usuário de drogas e havia saído da cadeia pública de Bezerros há 8 meses, onde estava cumprindo pena por ter sido preso quando tentava assaltar um ônibus e foi impedido por policiais que viajavam no veículo.
Segundo familiares, a vítima que iria completar 23 anos amanhã (quarta 06), estava trabalhando catando recicláveis, quando foi morto com 5 tiros sendo 2 nas costas, 2 na cabeça e 1 na mão.
Existem algumas câmeras instaladas em algumas casas no local e a Polícia Civil já requisitou estas filmagens e em uma delas as imagens mostram a vítima sendo executada.
Familiares disseram que a vítima vinha recebendo ameaças de morte. O corpo foi encaminhado ao IML de Caruaru. este foi o 7º homicídio de março na cidade.



A irmã da vítima informou que "Pipí" estava recebendo ameaças de morte.

Materia e fotos do blog Adielson galvão

Presidente do STF pede desculpas após discutir com jornalista



Da Agência Brasil

Brasília - A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou nota na tarde de hoje (5) em que pede desculpas à imprensa por causa de uma declaração do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, a um jornalista. A nota foi assinada pela secretaria em nome do presidente do Tribunal.
Joaquim Barbosa manda jornalista chafurdar no lixo
Após sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido por Barbosa, o jornalista Felipe Recondo, do jornal O Estado de S. Paulo, ia começar uma pergunta: "Presidente, como o senhor está vendo...". O repórter foi interrompido por Barbosa: "Não estou vendo nada. Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre". Após nova tentativa do repórter, o ministro respondeu: "Eu não tenho nada a lhe dizer, não quero nem saber do que o senhor está tratando".

A Agência Brasil não estava presente no momento, mas obteve a íntegra do áudio com jornalistas que presenciaram o ocorrido.

Em nota oficial encaminhada à imprensa no ínicio da tarde, o secretário de Comunicação Social do STF, Wellington Silva, pediu desculpas em nome do ministro. Ele justificou a atitude de Barbosa com o cansaço do ministro após longa sessão do CNJ.

"Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do ministro com a imprensa", registrou. O secretário ainda declarou que Barbosa acredita "no importante papel desempenhado pela imprensa em uma democracia".

O blog hoje parabeniza o leito deste blog e Prof. Afrânio Marques.

Câmara aprova PL sobre violência sexual

Agência Brasil (Brasília) – A Câmara dos Deputados aprovou hoje (5) projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade de atendimento integral e imediato nos casos de violência sexual. Pelo projeto, o atendimento deverá ser imediato e obrigatório em todos os hospitais públicos, conveniados ou contratados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que tenham pronto-socorro e serviço de ginecologia. A matéria será agora encaminhada à apreciação do Senado Federal.

O projeto foi apresentado em 1999 pela então deputada Iara Bernardi (PT-SP) com o objetivo de ajudar no atendimento médico e psicológico das vítimas de violência sexual. Atualmente existe um protocolo do SUS que garante esse atendimento, mas em alguns casos pode não ser cumprido. Com a aprovação do projeto e sua respectiva sanção, a matéria passará a ser lei.

“Se as vítimas estiverem conscientes de que terão atendimento condigno, deixarão de ter receio de ser expostas a novas violências, como chacotas e indignidades, que, muitas vezes hoje em dia, afastam a possibilidade de persecução penal dos agressores, porque a vítima prefere ficar calada. Aliar o atendimento médico e multidisciplinar às facilidades de acesso à polícia beneficiará, e muito, a efetividade da punição”, diz a ex-deputada na justificativa do projeto.

Palmares e limoeiro passam por fiscalização federal

Os municípios pernambucanos de Terezinha, Limoeiro e Palmares serão fiscalizados pela Controladoria-Geral da União (CGU) nas próximas semanas. Eles integram as 60 cidades do país sorteadas nesta segunda-feira (4) pelo Programa de Fiscalização a partir de Sorteios Públicos. A informação é do portal PE10.


Serão alvo de fiscalizações os recursos federais aplicados nesses municípios. A CGU vai analisará os dados dos programas do governo nas áreas de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social, bem como as eventuais denúncias e representações enviadas à CGU relativas às cidades sorteadas.

O sorteio contou com a presença do secretário-executivo da CGU, Carlos Higino, do secretário federal de Controle Interno, Valdir Agapito, e dos dirigentes das unidades regionais da Controladoria. Higino ressaltou a importância do programa de fiscalização da CGU, que completará 10 anos de existência em abril. “É uma iniciativa que vem dando certo, vem sendo bem sucedida. Não só inibe a corrupção como confere a correta aplicação dos recursos federais nos municípios”, afirmou.

Morre Hugo Chávez na Venezuela


PORTAL G1
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, morreu na tarde desta terça-feira (5), aos 58 anos, na capital Caracas. Ele lutava contra um câncer desde junho de 2011 e, após realizar um tratamento em Cuba contra a doença, havia voltado ao país natal em fevereiro deste ano.

Chávez foi um dos mais destacados e controversos líderes da América Latina. Desde que assumiu o comando da Venezuela, em 1999, o militar da reserva promoveu mudanças à esquerda, na política e na economia. Ele nacionalizou empresas privadas, atribuiu ao Estado atividades essenciais, além de mudar a Constituição, o nome, a bandeira e até o fuso horário do país (1h30 a menos que o horário de Brasília).

Chávez foi reeleito pela primeira vez em 2006, com mais de 62% dos votos, e novamente em 2012, com 54%.

Ele tentou chegar ao poder pela primeira vez em 1992 através de uma tentativa fracassada de golpe de Estado, que fez com que fosse preso. Em 2002, já no comando do país, sofreu um golpe de Estado que o tirou do poder por quase 48 horas. Foi restituído por militares leais, com a mobilização de milhares de seguidores.

A Venezuela, que é membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), possui uma economia dependente das exportações do combustível, tendência que Chávez queria mudar com a entrada do país no Mercosul. O país tem 30 milhões de hectares de terras cultiváveis, mas importa até 70% dos alimentos que consome. A população é de quase 29 milhões de habitantes.