terça-feira, 5 de abril de 2016

Hora de retribuir a Geraldo Silva

Câmara de vereadores de Toritama será investigada pelo MPPE


A Câmara de Vereadores de Toritama, no Agreste de Pernambuco, será investigada pelo Ministério Público Estadual em razão da aquisição de inúmeros bens, entre passagens aéreas e outros adquiridos em 2013 e 2014, supostamente sem licitação. A promotora de Justiça da cidade, Danielle Ribeiro Constantino, abriu de uma só vez 15 procedimentos preliminares, a partir de denúncias recebidas e pede que em 20 dias o legislativo municipal envie documentação sobre cada questionamento.

Os contratos a serem apurados totalizam pouco mais de R$ 366 mil. Somente em relação a passagens aéreas, R$ 43,6 mil teriam sido gastos junto a duas empresas de turismo. Nas despesas feitas supostamente sem licitação ainda estão R$ 13.480 com ar-condicionado, R$ 8.269 com produtos adquiridos de um mercadinho, R$ 142.500 de compras junto a uma única empresa, R$ 95.400 em relação a outra e R$ 40.555 de materiais para reforma do prédio, mais R$ 22.700 relativo a outras duas aquisições, além da contratação de advogado quando o ideal seria fazer concurso público.

As investigações, justifica o Ministério Público, no Diário Oficial desta sexta-feira (11/03), consideram que a seleção da proposta mais vantajosa à administração deve ser em conformidade com a legislação e os princípios da legalidade e impessoalidade.


JC ON-LINE

Suspeito por atear fogo em residência no bairro Santa Tereza é preso pela Polícia Militar



Fotos: Gilson Fernandes.

Nesta terça-feira (05), a Polícia Militar de Santa Cruz do Capibaribe conseguiu capturar Edson José Venceslau Júnior (19 anos), o mesmo é suspeito de ter ateado fogo em uma residência localizada no bairro Santa Tereza na Capital da Moda (relembre o caso clicandoAQUI).


Segundo informações da proprietária do imóvel, o suspeito tinha um relacionamento com sua filha e que ela (a filha) estaria grávida de quatro meses, porém não queria conviver com o Edson e que após ameaças, ele teria colocado fogo na residência.

Ao prestar esclarecimentos ao delegado de plantão, Edson afirmou que ‘teria colocado fogo em um momento de loucura e que estaria arrependido’. O Suspeito foi encaminhado ao presidio de Santa Cruz do Capibaribe


Blog do Ney Lima

Terminou com voz de prisão Depois de forte tumulto iniciado no plenário por popular, reunião da Câmara é encerrada em Santa Cruz


Confusão começou após militante cobrar de Zé Minhoca documentos relacionados a CPI do Calçadão – Fotos: Thonny Hill

Na tarde desta terça-feira (05) um tumulto foi registrado no plenário da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe.



Tudo começou quando o militante político Clodoaldo Barros, que estava sentado em uma das cadeiras do plenário, se dirigiu até o vereador Zé Minhoca (PSDB) para cobrar ao mesmo documentos relacionados a CPI do Calçadão, na qual o mesmo era presidente.



De acordo com informações, Clodoaldo queria acionar a justiça para ser ouvido na CPI que investigava denúncias, mas precisaria da ata da reunião que mostrasse que o mesmo não teria sido ouvido.



A confusão começou quando, no momento da leitura da Bíblia, Clodoaldo se dirigiu a mesa para cobrar a ata ao vereador e, tendo uma reposta negativa, se alterou, jogando no chão os projetos de lei que seriam votados.



Em seguida, Zé Minhoca também se alterou e deu a ele voz de prisão, alegando desacato a autoridade já que, além de vereador, o mesmo é policial rodoviário federal.



Zé Minhoca chegou a ser contido por colegas de bancada

.

Em outro momento, Clodoaldo e o presidente da Casa, Afrânio Marques, também ficaram com os ânimos alterados.

Os dois chegaram a trocar insultos e Afrânio chegou a ser contido por colegas de bancada.



Afrânio e Clodoaldo também chegaram a trocar insultos

A Guarda Municipal foi acionada e levou Clodoaldo até a delegacia.


Momento em que o secretário Junior, da Guarda Municipal, conversa com Clodoaldo para retirá-lo do plenário


.

Vereadores da bancada situacionista se dirigiram até lá como testemunhas do caso.

Em conversa com o jornalista Thonny Hill, o vereador Zé Minhoca alegou que Clodoaldo estaria sendo manipulado por alguém, sem especificar quem, a agir de tal forma.

Já o oposicionista Carlinhos da Cohab criticou o situacionista, citando que ele estaria jogando para a Oposição a culpa da atitude tomada pelo militante político.

Entre os situacionistas, a atitude de Clodoaldo foi vista como uma afronta e um desrespeito aos vereadores. Já os Oposicionistas encaram a atitude como uma revolta popular ao polêmico encerramento da CPI.

Blog do Ney Lima