quinta-feira, 14 de março de 2013

Eleição do papa faz história e surpreende a todos


Agência Brasil/EBC (Buenos Aires) – A eleição do novo papa fez história e surpreendeu a todos, especialmente aos argentinos. O arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, foi favorito no conclave de 2005, que acabou elegendo o alemão Joseph Ratzinger. Ninguém achava que, oito anos depois, Bergoglio substituiria Ratzinger, que renunciou em meio a denúncias de corrupção e pedofilia. Bergoglio é o primeiro jesuíta e o primeiro latino-americano que vai comandar 1,2 bilhão de católicos.

Apesar de Bergoglio ser um dos cotados, desta vez ninguém arriscou. Pesava, acima de tudo, a idade: ele era oito anos mais velho que em 2005, quando o Vaticano optou por um papa que acabou renunciando ao cargo, alegando a idade avançada. Mal o Vaticano anunciou o nome dele, em latim, os argentinos foram à Catedral de Buenos Aires, no centro da capital.

Algumas pessoas choravam sem parar. Outras dançavam com a bandeira argentina, ou rezavam, levantando os rosários. “Sinto tanto orgulho que não sei como me expressar”, disse a contadora Ana Maria Lopez. Ela foi à catedral de Buenos Aires assim que ouviu o nome de Bergoglio na televisão. O arcebispo de Buenos Aires, que virou papa, é conhecido por muitos – em bairros ricos e nas favelas, em igrejas e sinagogas.

“Ele vivia do jeito que pregava: andava de ônibus e de metrô. Já cruzei com ele na favela Villa 31, onde moro, mais de uma vez. Não dava muita bola porque não pensava que ia virar papa ”, disse à Agência Brasil o eletricista Barnabas Lopez. “A escolha do nome é simbólica”, lembrou Ana Maria Gonzalez. “Francisco é o santo dos pobres, que denunciou a opulência do Vaticano e foi perseguido por causa disso. Espero que o novo papa Francisco faça uma limpeza na Igreja.

Bergoglio tem fiéis na comunidade cristã (92% dos argentinos são católicos) e na comunidade judaica (a maior da América Latina). No ano passado, participou de uma cerimônia interreligiosa em uma sinagoga, comemorando o Natal e a Hanukkah (festa judaica, também conhecida como Festival das Luzes). Estavam presentes também representantes de religiões afro-americanas, como a umbanda.

Na Argentina, as opiniões estão divididas. Pesam sobre Bergoglio denúncias de envolvimento no sequestro de dois padres jesuítas, durante a ditadura argentina (1976-1983). Ele teria retirado a proteção eclesiástica. Bergoglio nunca se manifestou sobre o tema até recentemente, quando negou qualquer participação.

A presidenta Cristina Kirchner enviou carta ao novo papa, felicitando-o pela eleição. Em discurso, ela pediu que ele interfira para convencer as grandes potências a usar a negociação como meio para resolver as diferenças políticas. Cristina Kirchner disse também que irá à posse do novo papa. No passado, a presidenta e Bergoglio manifestaram posições totalmente opostas sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo. Ela foi a favor e ele contra.

Doente recebe alimento na veia em Alfenas

Paciente de 83 anos recebe alimento na veia em Alfenas

Um aposentado de 83 anos que está internado em um hospital particular de Alfenas (Minas Gerais) recebeu alimento...

Um aposentado de 83 anos que está internado em um hospital particular de Alfenas (Minas Gerais) recebeu alimento pelo cateter na veia em vez de medicação. O erro fez com que o paciente, identificado como José Luiz Pereira, fosse transferido às pressas para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) onde segue internado.

O hospital confirmou nesta semana o erro, que ocorreu na sexta-feira, e o atribuiu a uma técnica em enfermagem. O caso está sendo apurado em sindicância interna e por meio de um inquérito na Polícia Civil.

O paciente estava internado em um quarto do hospital particular havia duas semanas para tratar uma pneumonia e, segundo parentes, estava se recuperando bem.

Erro. Em entrevista a uma emissora de TV, o diretor clínico do hospital, Paulo Celso Bastos Bernardes, confirmou o erro que agravou o estado de saúde do idoso.

"O hospital admite que houve uma falha humana e nós abrimos uma sindicância para apurar o que de fato aconteceu", afirmou Bernardes.

A família do aposentada mora na cidade de Machado (MG) e procurou a polícia assim que soube do erro. Os envolvidos no incidente estão sendo ouvidos e um inquérito a respeito já foi aberto.

Os parabéns do blog hoje vai para o leitor Robson Lagos.



Felicidades pelo seu aniversário.
Que seu caminhar seja sempre premiado com a presença de Deus, guiando seus passos e intuindo suas decisões, para que suas conquistas e vitórias, sejam constantes em seus dias.

Parabéns por hoje, mas felicidades sempre.

Blog jataúba news 
escrito por collar.

Condenação à morte


 

Tivemos de chegar à metástase do crack para que, de repente, o Brasil acordasse para o problema da droga. Mas antes tarde etc. Por outro lado, nos jornais e on-lines, pululam amadorismos bem-intencionados. Pessoas que só sabem de droga pelos manuais, por alguma breve experiência com maconha na juventude ou por passar de carro pelas proximidades de uma cracolândia pontificam a respeito. Ao cantar de um galo à distância, julgam ouvir a palavra 'higienismo' e logo se põem contra a internação involuntária.

As famílias dos dependentes sabem melhor do que falam -sua experiência de ter em casa um escravo do crack ainda não foi, nem de longe, tratada pela literatura. E por que 'em casa', perguntará você, se o dependente se muda para a cracolândia? Porque a casa é para onde ele sempre volta, para pegar ou tomar o que ainda possa ser vendido e lhe valer uma pedra -dos bens e joias da família a lustres, móveis, esquadrias.

Tais famílias não suportam ver seu filho ou neto receber 'alta' e ser devolvido às ruas pelos que o internaram apenas um mês antes -para abrir novas vagas, denunciam elas, e maquiar as estatísticas de 'atendimento'. Se isso de fato estiver acontecendo, é lamentável -mas não basta para desqualificar todo o sistema de internação, que apenas começa a ser posto em prática.

Também não tem sentido o raciocínio de que, como historicamente o homem sempre se drogou, não adiantam os bilhões investidos na repressão, porque ele voltará a se drogar, não importa com o quê. Bem, o homem também sempre ficou doente. Significa que a medicina e a pesquisa científica devem fechar as portas pois, não importam os seus avanços, o homem voltará a ficar doente e morrerá?

Uma alta prematura é quase sinônimo de recaída. Mas o abandono na rua já é uma condenação à morte. (* Folha de S.Paulo)

Mais um orgulho pra jataúba!!!


Empresa de jataubense esta sendo destaque na região pernambucana onde esta gerando vários empregos 
em toda nossa região. é mais um orgulho pra nossa região onde cada vez mais o nome de nossa terrinha esta sendo levado com muita responsabilidade.
Com as informações Josemir Farias.    

Filha de Chávez pede respeito pela dor da família e confirma data da morte de presidente




Da Redação Sul 21


Não brinquem com a dor da família e do povo. O pedido partiu da filha do presidente venezuelano Hugo Chávez, María Gabriela Chávez, em carta publicada na terça-feira (13). No documento, ela assegura que o seu pai morreu no dia 5 de março, de acordo com o anúncio oficial feito pelo governo. María ainda critica fortemente a oposição, principalmente o governador de Miranda, Henrique Capriles, que afirmam que o governante estava morto antes dessa data.

“Venezuela, com toda a responsabilidade do mundo, com toda a sinceridade da alma destroçada de uma filha que amou e ama seu pai infinitamente, lhes digo que meu gigante morreu lutando, e morreu em sua pátria no dia 5 de março de 2013, exatamente uma semana depois do meu aniversário”, diz a carta de María Gabriela.

E continua: “não brinquem mais com a dor de um povo e uma família que está devastada perante esta dura realidade. Não é justo, não é humano, não é aceitável que agora pretendam dizer que estivéssemos mentindo a respeito da data de sua partida”, afirmou.

A filha de Chávez pede também pediu “à essa oposição doente e especialmente ao senhor (Henrique) Capriles: pelo bem da pátria, os peço para fazerem política e não serem tão sujos”.


A carta aponta que é “simplesmente inconcebível” pensar que uma família inteira tenha se prestado a “tamanha mentira”. “Nunca interferi diretamente em questões políticas, porém nesses momentos tão delicados e vitais para mim e para o povo, veio a necesidade de levantar minha voz contra aqueles que querem jogar com a dor de minha família, a dor do meu povo e, sobretudo com a memória de meu pai gigante!”

Capriles acusou no domingo o presidente interino, Nicolás Maduro, de mentir sobre o que realmente ocorreu com Chávez, falecido na terça-feira passada por complicações no tratamento de um câncer na região pélvica, contra o qual lutou durante 20 meses.

Com informações do Opera Mundi

Traição e coerência: lições do avô ao neto






Imediatamente após o golpe 1964, os militares tentaram cooptar grandes nomes da política brasileira, cuja credibilidade pudesse mitigar a violência cometida contra a democracia.

Ao então governador de Pernambuco, Miguel Arraes, avô do atual ocupante do cargo, Eduardo Campos, foi dada a opção seca: adesão com renúncia 'espontânea', ou prisão.

Cercado no Palácio das Princesas, o sertanejo Miguel Arraes honrou a fibra que lhe dera fama.

'Não vou trair a vontade dos que me elegeram', mandou dizer aos emissários do Exército.

Foi preso imediatamente. Sobral Pinto, famoso jurista da época, conseguiu-lhe um habeas corpus, cujo relator foi Evandro Lins e Silva.

Em 1965, Arraes exilou-se na Argélia. Em 1967 foi condenado à revelia: 23 anos de prisão.

Voltou ao país com a abertura, em 1979. A coerência que o transformara em legenda, impulsionou a retomada da carreira política.

Arraes elegeu-se governador de Pernabuco mais duas vezes, em 1986 e 1994.

Outro exemplo de retidão sertaneja foi o paraibano de Pombal, Celso Furtado.

Decano dos economistas brasileiros, Furtado dirigia a Sudene, em Recife.

No dia do golpe, esvaziava gavetas quando teve a sala invadida por um grupo de oficiais de alta patente.

A exemplo de Arraes, foi chantageado pelos que buscavam aliados vistosos.

Sua resposta não foi menos enfática:

'Sou um servidor da República, não me peçam para trair minha pátria', disparou sobre seus interlocutores envergonhando-os. Consta que deixou o edifício da Sudene dirigindo o próprio carro.

Cassado, Furtado exilou-se na França, onde viveu de suas aulas. Até hoje não foi anistiado, embora tenha sido incluído na primeira lista de cassados da ditadura. Tampouco se tem notícia de que seus familiares receberam qualquer indenização do Estado brasileiro.

O governador Eduardo Campos conhece essas histórias, conviveu com seus personagens.

O governador tem recebido emissários frequentes das mesmas forças e interesses que em 1964 acossaram seu avô, perseguiram e jogaram no ostracismo reservas intelectuais e morais da Nação, a exemplo de Furtado.

O governador deve em boa parte a carreira política aos que souberam dizer não aos emissários da traição e do golpismo.

A ver.

Saul Leblon-Carta Maior

Dilma lança programa em clima de campanha eleitoral



Da Agência Estado

O clima de campanha eleitoral dominou a cerimônia de lançamento do programa "Mulher: Viver Sem Violência", nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto. Em meio a gritos de "Olê, Olê, olá, Dilma, Dilma", que se repetiram em três momentos da cerimônia, a presidente Dilma Rousseff não teve pressa em posar, por mais de 30 minutos, com todas as pessoas que se postaram em enormes filas, após o final da cerimônia. Pacientemente, a própria presidente puxava quem a chamasse para o seu lado. Dilma tirou mais de 300 fotos e os presentes saíram felizes ao receberem cartões de visita para pedirem, posteriormente, por e-mail, as fotografias.

Em sua fala, a presidente pediu "tolerância zero" na violência contra as mulheres e aproveitou para alfinetar a oposição, ironizando que estava "muito alegre" por não estar sendo questionada pela quantidade de medidas tomadas em defesa das mulheres. Esta é uma bandeira que ela pretende defender em sua campanha à reeleição. "Me alegro muito hoje porque nós não temos sido questionados por uma verdade que afirmamos. Numa democracia sempre se questiona. Que nós somos um governo com maior volume de políticas públicas para mulheres em nossa história", comentou.

Mais uma vez a presidente aproveitou para afagar o vice-presidente Michel Temer, por ele ter criado a primeira delegacia da mulher, em São Paulo, quando era secretário da Justiça do Estado. Além de Temer, Dilma fez questão de convidar para a cerimônia os presidentes da Câmara, Henrique Alves, e do Senado, Renan Calheiros, além do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa e do Procurador Geral da República, Roberto Gurgel. Queria o apoio e o engajamento de todos os poderes no combate à violência contra a mulher.

Tolerância zero

No discurso desta quarta, Dilma anunciou a criação, até 2014, das 27 primeiras casas em todas as capitais dos estados para receber as mulheres vítimas e ameaçadas de violência, Dilma pediu união entre Estado e sociedade para enfrentar o problema. R$ 250 milhões serão destinados ao atendimento especial às mulheres. Apesar de pedir "tolerância menor que zero" para quem pratica violência contra a mulher, Dilma, nesta quarta, não foi tão enfática como no pronunciamento oficial da sexta-feira passada, em cadeia de rádio e TV, quando ameaçou os homens que "insistem em agredir suas mulheres" alertando que "não se esquecessem jamais que a maior autoridade deste País é uma mulher, uma mulher que não tem medo de enfrentar os injustos nem a injustiça, estejam onde estiverem".

Nesta quarta, na cerimônia, Dilma explicou que "ter tolerância zero significa combater e erradicar todas as formas de violência todas, desde aquelas que são as mais abjetas como a violência doméstica, o estupro, o assassinato ou tráfico sexual, a exploração sexual sob todas as formas". Dilma emendou citando que é preciso combater até outras formas de violência com "conteúdos mais disfarçados, porém igualmente dolorosos e igualmente inadmissíveis, como a discriminação no trabalho, no salário, a educação discriminatória, a falta de oportunidades, e sobretudo, a baixa estima decorrente da violência". A presidente lembrou que "é contra todos estes tipos de violência que temos lutado e vamos continuar lutando". Para Dilma, o combate à violência "tem de estar casado com medidas fortes de coerção, de repressão, de cumprimento da lei, e com reforço da autonomia das mulheres".

Oposição denuncia suposto preconceito do TJPE em contratação de concursada


O líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Daniel Coelho (PSDB), subiu na tribuna da Casa nesta quarta-feira (13) para denunciar um caso que ele classificou como preconceito na contratação de uma cidadã aprovada num concurso público. A bacharel em Direito Luciana Pragana foi aprovada no penúltimo concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), mas foi declarada “inapta” para o cargo, ao realizar a perícia médica. Portadora de deficiência física, Luciana briga agora na Justiça pelo direito de exercer o cargo à qual foi aprovada.

Também pós-graduada em Direito Público, Luciana Pragana conta que já tentou de várias formas provar sua capacidade, inclusive enviando documentos de onde trabalhou e estudou, comprovando ter capacidade física para exercer a função à qual foi aprovada. Também aprovada – mas ainda não chamada – em concursos do Ministério Público de Pernambuco e do Tribunal Regional do Trabalho, a bacharel em Direito foi aprovada nas perícias realizadas por esses órgãos.

"Faço um apelo a esse plenário por essa jovem portadora de deficiência física que, por seus méritos e esforços, se formou em Direito, fez pós-graduação, fez concurso para o Tribunal de Justiça, passou, e na hora de tomar posse, foi considerada inapta", destacou o tucano.

Humberto diz que Dilma promove revolução em PE


Enquanto o governador Eduardo Campos (PSB) mantém-se crítico a determinadas posições da condução econômica do governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Humberto Costa (PT) segue como defensor ferrenho das ações da petista que são refletidas em Pernambuco. Nesta quarta-feira (13), o parlamentar subiu à tribuna do Senado para detalhar o conjunto de recursos recentemente liberados para o Estado pelo governo Federal. O que, segundo Costa, sinaliza uma revolução na economia local.

“O nosso estado nunca recebeu tanto volume de verbas federais quanto nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, o que permitiu uma verdadeira revolução na economia do estado”, afirmou o petista. O senador também rebateu a reportagem publicada no último domingo, no jornal O Estado de São Paulo, que especula sobre uma possível redução no valor repasses para Pernambuco: “É preciso ter um melhor entendimento dos números. Isso para evitar o uso político das informações”.

Entre os recursos liberados, o senador Humberto Costa destacou os valores destinados à melhoria da mobilidade urbana e na distribuição de água. “Apenas na semana passada foram anunciados mais R$ 2,2 bilhões de investimentos para nosso Estado, sendo R$ 542 milhões para o Recife – em programas de ampliação e adequação da rede de distribuição de água, obras de esgotamento sanitário, implantação do corredor de transporte público de passageiros e pavimentação e qualificação de vias urbanas”, detalhou Humberto.

Humberto fez questão de associar o grande desenvolvimento da região Nordeste, que vem crescendo mais do que a média nacional, à política de inversão de prioridade nas gestões de Lula e Dilma. “Pernambuco, em consonância com a política de redução das desigualdades regionais, desde o governo do presidente Lula tem sido destino de muitos investimentos do governo federal. Agora, novamente, o estado é beneficiado com novos repasses”, lembrou.