domingo, 1 de setembro de 2013

Escapadas de Dilma


 

'Cristal em deslocamento', avisa pelo rádio um homem alto, óculos escuros, terno preto, expressão grave. 'Cristal chegando', responde outro agente igualmente carrancudo. 'Cristal' é talvez a pessoa mais vigiada do país, mas tem o hábito de dar um trabalho danado para o general Marcos Antônio Amaro dos Santos, 55, principal responsável por sua segurança pessoal.

'Cristal' é o codinome usado --ou pelo menos era até a semana passada-- pelos militares cuja missão é proteger a presidente Dilma Rousseff. Sem dar na vista, a mandatária costuma dar escapadinhas com certa frequência. Visita parentes em Brasília a bordo de um carro disfarçado. Já jantou em casa de ministro e saiu para tomar uma taça de vinho com amigos sem que muitos notassem.

Como a Folha revelou na semana retrasada, a presidente aprontou no dia 4 de agosto, quando liberou a guarda de plantão e avisou que ficaria no Palácio da Alvorada. Enquanto seus agentes participavam de uma cerimônia de troca da bandeira na praça dos Três Poderes, a presidente montou na garupa de uma Harley-Davidson do secretário-executivo Carlos Gabas (Previdência). Rodou Brasília ouvindo o rock que saía dos pequenos fones acoplados ao capacete.

Privada pelos limites do cargo de seus programas prediletos, como ir ao cinema, teatro e ópera, Dilma mandou eliminar a ambulância que normalmente segue seu comboio presidencial --quanto mais gente no encalço, mais difícil a fugidinha. Continue lendo aqui a matéria na íntegra. (Folha de S. Paulo – Natuza Nery)

fonte blog do magno martins 

Aécio é o melhor anti-Dilma



Embora enfrente um problema partidário que atende pelo nome de José Serra, o senador Aécio Neves é que vem reunindo as melhores condições para o papel de anti-Dilma.

Apresentou crescimento, embora tenha depois perdido uns pontos. Seu partido é nacionalmente estruturado, dispõe de máquinas poderosas nos estados de Minas e São Paulo, terá um tempo de televisão razoável. As candidaturas de Campos e Marina no primeiro turno lhe interessam para forçar o segundo, assegurando-se – desde agora – da unidade das oposições no embate final. Para isso, prestará aos dois todas as homenagens e fará até concessões nas disputas estaduais.


Tereza Cruvinel 

Plano B: Marina já tem partido para disputar


A candidata a presidente Marina Silva já tem partido para concorrer em 2014, caso não consiga criar a Rede a tempo. O presidente do Partido Ecológico Nacional (PEN), Adilson Barroso, ofereceu a legenda e o comando do partido à ex-ministra. Eles voltarão a conversar dia 25 de setembro. Até lá, Marina vai aguardar pela decisão do TSE, de homologar ou não a criação da Rede.

O ex-ministro do STF Carlos Ayres Britto tem sido uma espécie de consultor informal de Marina Silva. Há poucos dias, ela o convidou para se filiar à Rede e disputar um cargo eletivo no ano que vem. Ayres Britto ficou de pensar na proposta. (O Globo – Ilimar Franco)

Obama anuncia ação militar dos EUA na Síria



"Nossa capacidade de executar essa missão não é sensível ao tempo; será eficaz amanhã, na próxima semana ou daqui a um mês. E eu estou preparado para dar essa ordem."(Foto: Spencer Platt/Getty Imagem/AFP)

Agência Brasil (Brasília) – Os Estados Unidos estão prontos para uma intervenção militar na Síria, declarou hoje (31) o presidente norte-americano Barack Obama, em pronunciamento na Casa Branca.

“Nossa capacidade de executar essa missão não é sensível ao tempo; será eficaz amanhã, na próxima semana ou daqui a um mês. E eu estou preparado para dar essa ordem.” Obama ressaltou, porém, que vai pedir o aval do Congresso americano, que está em recesso até 9 de setembro.

Segundo o presidente, escolhas difíceis fazem parte de suas atribuições. Ele aproveitou para ressaltar também a responsabilidade dos congressistas. “Todos sabemos que não existem opções fáceis. Mas eu não fui eleito para evitar decisões difíceis. E os membros da Casa Branca e do Senado, também não.”

Obama disse que não espera a concordância de todos os países com a ação militar na Síria, mas pediu que aqueles que estiverem de acordo declarem isso publicamente. Ele afirmou que tomará a decisão mesmo sem aprovação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o chefe do governo americano, o governo sírio cometeu violência contra a dignidade humana e fere a segurança dos Estados Unidos, uma vez que pode estimular o uso de armas químicas e proliferação de grupos terroristas. Obama reforçou que considera o governo sírio responsável pelo ataque ao próprio povo. Ele destacou que os Estados Unidos têm de que agir diante desse ato na Síria, que, conforme relatos de serviços secretos americanos, provocou a morte de mais de mil pessoas, entre elas crianças.

A oposição e países ocidentais acusam o regime de Bashar Al Assad de ter usado gás tóxico no ataque do dia 21 deste mês, nos arredores de Damasco, capital síria. O governo sírio rejeita as acusações e atribui a responsabilidade pelo ataque aos rebeldes.

O conflito na Síria já fez, desde março de 2011, mais de 100 mil mortos e levou o país a ser suspenso dos trabalhos da Liga Árabe.

Eduardo Campos é o queridinho dos empresários

A coluna Radar, publicada na revista Veja desta semana, publicou que o governador de Pernambuco e provável candidato à Presidência da República, em 2014, ocupa hoje o posto de queridinho dos grandes empresários. Nas entrelinhas, a nota insinua que o socialista desbancou o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, que até então ocupava esse cargo.

A mesma coluna afirma que Eduardo e Aécio estão “quase” no mesmo time. Os dois, inclusive, já teriam até batido o martelo: PSB e PSDB estarão no mesmo palanque em 2014 em pelo menos dez estados. Em Pernambuco, as chances de uma aliança já é quase uma realidade.

Remuneração gera dúvidas

O trabalho de intermédio realizado pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) para a contratação de médicos cubanos pelo programa Mais Médicos também é alvo de críticas. O advogado Ney Araújo destaca que a divisão dos recursos que deveriam ser direcionados de forma exclusiva aos profissionais que prestam o serviço é um elemento que se soma aos desencontros entre ferramenta do Governo Federal e a Legislação Trabalhista.

Especialistas divergem sobre “importação” de médicos
Economia cubana tem reforço com contratação no exterior
AGU nega trabalho escravo

“Não sabe, por conta dessa relação indireta, qual a remuneração que será destinada a esses médicos. A prestação do serviço é ao Brasil, mas os profissionais vão receber muito menos porque a OPAS e o governo cubano ficarão com parte do recurso pago. O médico não vai receber pessoalmente, e não existe essa previsão de contrato dentro do nosso Direito”, indica Ney Araújo.

O Governo Brasileiro tentou assegurar que pelo menos 40% dos valores repassados a Cuba fossem destinados à remuneração dos profissionais cedidos pelo país da América Central. Contudo, até o momento, não haveria segurança sobre esse percentual. Presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Mário Jorge Lôbo frisa que a participação da OPAS soa como uma tentativa do Governo Federal de garantir – ou pelo menos tentar assegurar – um caráter mais transparente ao processo de contratação.

blog da folha