sábado, 27 de setembro de 2014

Armando usará depoimento de Campos no guia do PTB


Pernambuco 247 – O candidato ao governo de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) usará, em seu guia eleitoral, um depoimento do ex-governador do estado Eduardo Campos (PSB) elogiando o petebista em 2010, quando o parlamentar disputa o Senado pelo palanque de Campos. Armando tem como principal o ex-secretário estadual da Fazenda Paulo Câmara (PSB).

Antes de Campos aparecer na tela pelo guia do PTB, a apresenta diz: "Paulo Câmara, que tanto vem se utilizando da imagem, das opiniões de Eduardo em sua campanha eleitoral de forma abusiva, como a gente tem visto, deve, no mínimo, respeitar a opinião de Eduardo sobre Armando Monteiro".

Depois, conforme a gravação, Campos aparece dizendo que "o trabalho de Armando Monteiro está presente no que aconteceu de melhor em Pernambuco durante o nosso governo". Vale ressaltar que, em agosto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) aprovou a liberação do uso de imagens do ex-governador por candidatos adversários a Paulo Câmara.

"Como deputado federal, trouxe recursos e obras para os municípios. Como líder empresarial, Armando trabalhou para que mais indústrias viessem para o nosso Estado gerar empregos", continua o ex-presidenciável.

Nesta sexta-feira (26), em seu guia, Armando criticou a estratégia utilizada por Câmara de se apresentar como "herdeiro" do governo Eduardo Campos. "Paulo não é Eduardo, por mais que ele que ele queira que você pense isso", afirmou. "O que temos assistido nessa campanha eleitoral é uma exploração abusiva da morte do ex-governador Eduardo Campos", disse.

Levantamento divulgado pela Datafolha, nesta sexta-feira (26), aponta Câmara na primeira posição, com 43% do eleitorado, seguido por Armando, com 34%


Vereador que apoia este trabalho

Marina em decadencia: Datafolha sinaliza virada do medo na sucessão




Os dados que o Datafolha divulgou na noite desta sexta-feira (26) exibem algo muito parecido com o que os amantes do futebol chamam de virada. No caso da sucessão, uma virada do medo contra o desejo de mudar. A melhor explicação para o fenômeno vem do Nordeste. Ali, informa a pesquisa, Marina Silva despencou nove pontos percentuais. E Dilma Rousseff subiu seis. Uma evidência de que a eficácia do terrorismo eleitoral cresce na proporção direta da dependência em relação a programas como o Bolsa Família.


No total geral, Dilma voltou a oscilar para o alto. Em uma semana, subiu de 37% para 40%. Marina escorregou três pontos, de 30% para 27%. A vantagem alargou-se para 13 pontos. Aécio Neves ficou praticamente estável: foi de 17% para 18%. No cenário de segundo turno, Dilma subiu de 44% para 47%. Com isso, ultrapassou Marina, que caiu de 46% para 43%.

Construída lentamente, desde o início do mês, a mudança de cenário não é negligenciável. Mantidas as tendências de ascensão de Dilma e de queda de Marina, não se pode excluir nem mesmo a hipótese de a candidata do PT prevalecer no primeiro turno. É improvável. Mas não é impossível.

Numa conta que considera apenas os votos válidos, como faz a Justiça Eleitoral ao contabilizar as urnas, Dilma teria 45%. Marina, 31%. Aécio, 21%. Para liquidar a fatura, a presidente precisaria obter mais votos do que a soma dos votos de seus rivais. Marina e Aécio somam 52%. Os candidatos nanicos, 3%.

Na hipótese de sobreviver à artilharia, Marina terá de fazer outra campanha no segundo turno para reverter a aparência de espantalho que o marqueteiro João Santana grudou no seu rosto. Considerando-se apenas os votos válidos, Dilma tem 52%. Marina, 48%. O tempo de propaganda de tevê passaria a ser igual –dez minutos para cada candidata. O problema de Marina será encontrar um enredo que a retire da defensiva.


Josias de Souza (Blog)



Vereador que apoia este trabalho

Debate: só propostas, sem ataques pessoais

 

(Foto: Alex Ribeiro/Blog da Folha)

O confronto entre os candidatos ao governo do Estado promovido na noite de ontem pela TV Clube/Record começou com os três principais postulantes Armando Monteiro (PTB), Paulo Câmara (PSB) e Zé Gomes (PSol) se atendo a debater propostas e evitando ataques pessoais. Os três fizeram perguntas entre si sobre seis temas pré-estabelecidos (educação, saúde, meio ambiente, segurança, habitação e moblidade). Mesmo sem as trocas de acusações, Paulo acabou sendo o alvo preferido, já que tanto Zé Gomes quanto Armando tentaram identificar falhas da gestão Eduardo Campos.

O primeiro a perguntar foi Zé Gomes, que questionou Paulo sobre as dificuldades enfrentadas pelos dois milhões de usuários do transporte público no Grande Recife. O socialista enfatizou que, caso eleito, irá ampliar o BRT, concluir a construção de novos corredores e implantar em 2015 a tarifa única para os usuários com valor de R$ 2,15. Zé Gomes rebateu, dizendo que BRT é um equipamento que já nasce atrasado, pois não integra o transporte da forma devida. 

A primeira pergunta de Paulo foi direcionada a Armando. O socialista questionou se ele desmancharia o Pacto pela Vida, já que vem fazendo críticas ao programa. O petebista voltou a afirmar que quer “repactuar o Pacto” e que o governo precisa dar atenção a outros crimes, como sequestro-relâmpagos, roubos e furtos. Armando também destacou que o nível de homicídios no estado ainda é alto, chegando a 37 por 100 mil habitantes.

Pelo sorteio, Câmara teve a oportunidade de fazer uma segunda pergunta a Armando. Questionou o candidato sobre o que achava da proposta do PSB para sanear a Região Metropolitana nos próximos dez anos. “A PPP foi desenhada, mas não podemos avaliar os resultados ainda. Tudo depende da capacidade de investimentos da Compesa. Mesmo assim, ainda teremos um déficit imenso em Pernambuco”, disse petebista.

Do Diario de Pernanbuco


Vereador que apoia este trabalho

Pesquisa IPMN: Fernando ultrapassa João Paulo



Com base na pesquisa do IPMN, especialista avalia que o crescimento contínuo do socialista pode resultar em vitória

A corrida eleitoral para o Senado ainda não está definida em Pernambuco. É o que a ponta a amostra divulgada pelo Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), divulgada neste sábado (26). No entanto, pela primeira vez, o candidato da Frente Popular, Fernando Bezerra Coelho (PSB), ultrapassa o postulante do PT. Fernando subiu 7% (em relação a pesquisa anterior) e alcançou a marca de 32 pontos. Apesar de ser superado pelo adversário, o postulante da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, João Paulo (PT), não teve uma queda brusca. Ele conquistou 30% das intenções de votos dos entrevistados e caiu 1%, em comparação com a levantamento anterior. As candidatas Simone Fontana (PSTU) e Albanise Pires (PSOL) somaram 1%. O candidato Antônio Oxis (PCB) não pontuou nesta amostra.

Faltando menos de dez dias para o pleito, o cenário ainda não revela quem poderá ser o senador por Pernambuco, pois o número de eleitores indecisos permanece elevado. Apesar da queda de 6%, o resultado dos que não souberam ou não responderam soma 18 pontos percentuais. Ao juntar com os votos brancos e nulos, o saldo chega aos 37%.

Fernando pode chegar

Quando analisado por regiões, o socialista eleva os percentuais de intenção de voto. Na Zona da Mata e Sertão ele conquistou a maior diferença, 13 pontos. No caso do candidato de Dilma, o aumento nos números foi perceptível na Região do São Francisco, com percentual alterado em 7%. 

De acordo com o cientista político Adriano Oliveira, Fernando Bezerra Coelho pode conquistar a vitória no pleito, pois o crescimento que ele vem obtendo a cada nova mostra pode se consolidar. A pesquisa do IPMN ouviu 2.480 pessoas, nos dias 22 e 23 de setembro. O nível de confiabilidade é de 95% e a margem de erro é de 2,0 pontos percentuais para mais ou para menos.

Escrito por Magno Martins



Internet de qualidade em jataúba é com a

Passando para desejar um belo final de semana a todos leitores deste Blog!!!