quarta-feira, 16 de março de 2016

Grampo em conversa com Dilma é fato muito grave, diz advogado de Lula


O advogado de Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, disse na noite desta quarta-feira (16) que a divulgação do áudio da conversa entre a presidente Dilma Rousseff com Lula é uma ‘arbitrariedade’ e estimula uma ‘convulsão social”.

O juiz Sérgio Moro retirou nesta quarta-feira (16) o sigilo de interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As conversas gravadas pela Polícia Federal incluem diálogo desta quarta com a presidente Dilma Rousseff, que o nomeou como ministro chefe da Casa Civil.

“Um grampo envolvendo a presidência da república é um fato muito grave. Esse ato está estimulando uma convulsão social. Isso não é papel do Poder Judiciário”, disse Zanin na porta do Instituto Lula, onde o ex-presidente, nomeado nesta quarta ministro da Casa Civil, está reunido. “A arbitratriedade independe do conteudo do grampo.”

“Não tenho avaliação do conteúdo da conversa. É um momento inoportuno, já houve a perda da competência do caso. Não havia necessidade de fazer a divulgação desse áudio. Acaba por gerar uma convulsão social”, disse Zanin.

“Esse grampo envolvendo uma presidência da República ser divulgado hoje quando não existe competência da vara de Curitiba revela finalidade que nao é a processual. Hoje a competência é do Supremo Tribunal Federal de julgar qualquer hipotética ação. O presidente Lula não é réu em nenhuma ação. Não exista ação penal contra o presidente Lula. Se houver hipotetica ação penal será decidida pelo STF.”


Mário Flavio 



Nenhum comentário:

Postar um comentário