sábado, 4 de junho de 2016

Crônica do Dia – A Melhor Coisa do Mundo – Por Nena Medeirosq

Nena Medeiros

Eu sei, eu sei.

É mesmo muita pretensão minha querer definir o que é a melhor coisa do mundo.

Eu, que nunca amamentei ou carreguei um bebê em meu ventre; eu, que nunca estive em Paris; nunca fui muito rica, nem espiritualizada o bastante para não me importar com isso.

Eu, que jamais escalei o Kilimanjaro ou atravessei a nado o Canal da Mancha, nunca venci um torneio de Grand Slam, nem cantei para o Maracanã lotado. Nem na arte a que me dediquei, a literatura, vivi a experiência de um best seller.

Como posso querer dizer o que é a melhor coisa do mundo vivendo uma vidinha normal, sem grandes êxitos, missões, nenhuma árvore plantada?

Simples. A melhor coisa do mundo é corriqueira e vulgar. Não envolve megalomania, embora, infelizmente, ainda haja hoje no mundo, quem nunca poderá alcançá-la.

Veja se concorda comigo: a melhor coisa do mundo é saciar-se. É estar com muita sede e beber água. É estar com fome e alimentar-se. É estar com frio e aquecer-se, com calor e refrescar-se, com tesão e amar.

Há uma piadinha, meio grosseira, que conta o seguinte diálogo entre dois sujeitos num banheiro público. Um deles, ao urinar, exclama:

- Ah! Que bom! Não tem coisa melhor neste mundo do que fazer xixi…

E o outro:

- Meu amigo, ou eu não sei mijar ou você não sabe transar.

Concordo. Mas, experimente fazer sexo com a bexiga quase estourando… Ou melhor, não experimente, não. Faz até mal pra saúde!

Você, neste ponto, deve estar pensando: Ei! Essas são necessidades apenas orgânicas. Se fosse só isso, ninguém erigiria edifícios, ninguém comporia sinfonias, ninguém se casaria… E todas as outras coisas? As que eu citei no início do texto, por exemplo? E eu respondo: você é um gênio. Você é telepata!! Está lendo meus pensamentos… posso parar de escrever e ficar só pensando.

Mas deste modo estaria me privando de uma das melhores coisas do mundo para mim: escrever. Então, continuo.

Maslow, psicólogo americano, descreve a prioridade de atendimento das necessidades humanas através de uma pirâmide. Ele afirma, categoricamente, que o homem nunca buscará saciar desejos dos níveis superiores, antes de satisfazer as necessidades dos inferiores.

Na base da pirâmide de Maslow, estão as necessidades fisiológicas, seguidas pelas necessidades pequeno burguesas, que ele chamou de “segurança”: lar, emprego, plano de saúde, carros blindados…

O próximo nível contempla as necessidades sociais: amor, afeto, aceitação e conformidade de uma forma geral. Queremos ter família, amigos, pertencer a clubes, grupos do whatsapp, receber muitas curtidas e comentários nos sites de relacionamento.

O nível seguinte fala da necessidade de reconhecimento de nossos talentos e quaidades e o último seria a ambição, a necessidade de autorrealização, aprimoramento.

Se considerarmos que cada um deles implica em necessidades a satisfazer, podemos voltar ao meu raciocínio: a melhor coisa do mundo é saciar-se. Satisfazer suas necessidades sejam elas de que nível forem.

E aí, moram as diferenças individuais. Tirando as necessidades mais básicas, que são praticamente iguais para todos, as outras variam muito. Para a mulher que passou por um complexo tratamento para engravidar, você consegue imaginar que momento melhor do que o de encontrar o resultado positivo no exame? E para o jovem que passou meses privando-se de namoros e balada, ao ver seu nome na lista de aprovados no vestibular? E o atleta paralímpico, sendo calorosamente aplaudido ao cruzar a linha de chegada em último lugar, depois de ouvir dos médicos que jamais poderia voltar a andar? Para o pai de família, desempregado há quase um ano, quando vê a carteira de trabalho novamente assinada?

E você que está de barriguinha cheia, tomou água, foi ao banheiro, quitou o financiamento habitacional na Caixa com o dinheiro do salário que acabou de sair e ainda deu para pagar o plano de saúde, a mensalidade do clube, da academia e da internet… você, que ao sair de casa de manhã, recebeu beijos carinhosos do cônjuge e dos filhos, que sabe que ao final do mês receberá a promoção por merecimento… Pense! Que outras necessidades você tem? Que outras metas, desejos, anseios movem o seu ser?

Pensou? Pois é! Agora é ir à luta e conquistar o melhor do mundo pra você!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário