sexta-feira, 15 de abril de 2016

Manifestantes fecham vias em atos contra impeachment


Do G1

Manifestantes bloquearam estradas e avenidas em algumas cidades do país em protesto contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que é discutido no plenário da Câmara dos Deputados a partir desta sexta-feira (15).

Em São Paulo, a Marginal Tietê ficou bloqueada por mais de uma hora, no sentido Rodovia Castello Branco. Também houve protestos no Viaduto do Chá, no Centro de São Paulo, nos dois sentidos, e na Avenida Paulista, onde três faixas foram bloqueadas no sentido Paraíso.

A Rodovia dos Imigrantes foi bloqueada na altura do km 15, na região de Diadema.

Entre os organizadores estão o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Na Grande Vitória, houve manifestações pró-impeachment. Os atos ocorreram em cinco pontos em Vitória e Vila Velha e complicaram o trânsito nesta manhã. Pequenos grupos de manifestantes bloquearam uma via em cada local. Os atos, que começaram por volta das 7h, terminaram por volta das 9h40.

Veja a situação em cada estado:

MATO GROSSO

Manifestantes ligados ao MST fizeram protesto em três rodovias de Mato Grosso. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, houve bloqueios por aproximadamente uma hora nos seguintes trechos: BR-174, km 787, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá; BR-364, km 268 em Jaciara, a 148 km de Cuiabá; e na BR-070, km 728, em Cáceres.

MATO GROSSO DO SUL

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o MST bloqueou o trânsito nos seguintes pontos de rodovias do estado: km 403 da BR-262, em Terenos e km 29 da BR-163, em Mundo Novo. A polícia informou ainda que houve aglomeração de trabalhadores rurais no km 411 da BR-163, em Anhanduí, e no km 136, da BR-267, em Nova Andradina.

MINAS GERAIS

Os dois sentidos da BR-050 foram liberados por volta das 10h desta sexta-feira (15), depois que cerca de 300 manifestantes sem-terra e sem-teto bloquearam a rodovia próxima ao assentamento do campus Glória, que pertence à Universidade Federal de Uberlândia (UFU). A manifestação começou às 8h.

Segundo o advogado da Pastoral da Terra, Igino Marcos, o movimento principal à frente da mobilização foi o MST, porém outros movimentos sociais se unem em várias reivindicações. “É uma manifestação que acontece em vários locais do país. São sete movimentos unidos em prol da campanha Abril Vermelho, reforma agrária, pela democracia e contra o impeachment da presidenta Dilma”, disse.

Em Governador Valadares, uma rodovia ficou fechada por 2 horas e já foi liberada.

PARANÁ

Cerca de 100 integrantes do MST protestaram contra a violência no campo e a favor da democracia. Eles fecharam a BR-277, em Curitiba, no bairro Orleans, na manhã desta sexta-feira (15), por cerca de duas horas. O grupo é contra o impeachment da presidente.

PERNAMBUCO

Integrantes do MST realizaram protestos na BR-101 Norte, na divisa entre Pernambuco e Paraíba; na BR-232, nos municípios de Moreno (Grande Recife) e Arcoverde (Sertão), e na BR-408, no distrito de Guadalajara, no município de Moreno.

RIO DE JANEIRO

Uma manifestação fechou parte do trecho da Via Dutra que corta Piraí, no Sul do Rio de Janeiro. Segundo a NovaDutra, às 9h40 o grupo estava concentrado na altura do km 242, do sentido São Paulo - 13km antes da Serra das Araras. O ato durou aproximadamente uma hora. O congestionamento chegou a 2 km no trecho.

SÃO PAULO

Na capital paulista, a Marginal Tietê ficou bloqueada por mais de uma hora, no sentido Rodovia Castello Branco. Também houve protestos no Viaduto do Chá e na Avenida Paulista.

Além disso, houve um protesto na região de São Carlos, no interior do estado. Um grupo de pessoas fechou a pista sentido capital da Rodovia Washington Luís (SP-310) no km 228. Os manifestantes ocuparam a faixa nas proximidades da entrada para a Avenida Getúlio Vargas por volta das 7h20 e liberaram a área cerca de 30 minutos depois. Eles colocaram fogo em pneus e o trânsito ficou lento na área.

Integrantes do MST bloquearam parte da Rodovia Anhanguera (SP-330), em Ribeirão Preto (SP). A manifestação ocorreu entre 9h e 10h40, e provocou congestionamento próximo ao quilômetro 313, no acesso ao Aeroporto Leite Lopes.

O MST também fez um protesto pró-governo e contra o impeachment na praça de pedágio que fica entroncamento das rodovias BR-369 e BR-153, na divisa entre São Paulo e Paraná. O trânsito no local está congestionado em todos os sentidos, inclusive na região de Ourinhos (SP). Cerca de 200 manifestantes estão no local.

Há ainda um ato entre as cidades paulistas de Itararé e Itapeva. Integrantes MST interditaram os dois sentidos do km 314 da rodovia Francisco Alves Negrão (SP-258) e o km 345 do trevo da rodovia Salvador Rufino de Oliveira Neto (SP-267). Os manifestantes bloquearam a rodovia com um trator por volta das 9h30. Cerca de 100 pessoas participam da manifestação.

SERGIPE

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) calculou que cerca de 560 pessoas participaram de bloqueios em três trechos da BR-101, no período das 9h às 10h desta sexta-feira (15), em Sergipe. As interdições foram realizadas pelo MST.

PIAUÍ

Mais de 200 manifestantes bloquearam a BR-316 por quase duas horas nesta manhã. A rodovia é a principal via que liga Teresina aos municípios do Sul do estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante o protesto foram mais de 5 km de congestionamento. A interdição aconteceu em Chapadinha por volta das 9h30. A via só foi liberada às 10h30.

No ato, os protestantes reivindicavam direitos agrários, defenderam a presidente Dilma Rousseff e se disseram contra o impeachment.

RIO GRANDE DO SUL

Um grupo de assentados de Alegrete, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, bloqueia o km 380 da RSC-377. De acordo com organizadores, o protesto, que é em defesa da presidente Dilma Rousseff e contra o impeachment, deve seguir até por volta das 17h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário