sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Assédio Moral na Escola



O Assédio Moral é a exposição humilhante e constrangedora levada a cabo por um superior hierárquico, durante a jornada de trabalho e no exercício das suas funções, sucessiva e prolongadamente. Muitos não sabem, mas o assédio moral pode levar o agressor até dois anos de reclusão.

E por incrível que pareça, no setor público, onde incompetentes, que se acham donos da coisa pública também acontece com frequencia o Assédio Moral.

Geralmente isso acontece contra pessoas passivas, que por não saberem ou temerem calam-se diante desses bobalhões que se acham “donos do que é público”.

Nas escolas, onde há muitos diretores competentes e humanos, corretos e dignos há também muitos diretores, vice-diretores incompetentes e perversos, mancomunados com as equipes por eles indicadas ou subjugadas por medo ou vontade de ver o circo pegar fogo, que subjugam educadores ao ponto de levá-los a doenças como a depressão e muitos, desesperados com a situação constrangedora solicitam remanejo para outra escola ou mesmo exoneração de suas funções, pois não aguentam mais estes pústulas que se acham donos das escolas.

Outros diretores sabem menos que um secretário de escola e mandam menos que um vice e envolto em suas incompetências encontram no assédio moral uma maneira de serem vistos e respeitados.

Atas são lavradas, exposições vexatórias em frente a seus pares são invariavelmente executadas e como infelizmente neste nosso meio o que menos existe é ética, muitos são aqueles que calam ao verem colegas sendo enxovalhados por qualquer “diretorzinho” ou “diretorzinha”, muitos dos quais, INCOMPETENTES, mandonistas e sem escrúpulos, que estão ali, pois quando eleitos a comunidade não tem o conhecimento de seu perfil moral ou ético o suficiente para dizer não a esses aproveitadores e quando indicados, o são por serem cães fiéis a políticos espertalhões ou lambedores de botas de “coronéis”, pois o coronelismo ainda existe.

Não podemos calar, devemos comprovar o assédio e colocar esses párias na cadeia, pois é nesse local que muitos deveriam estar, pois delinquem ao promover tais atos agressivos contra colegas.

Esquecem esses ladinos que em grande maioria das escolas há eleições e um dia eles poderão não ser eleitos. E como a vida é uma “roda viva”, hoje eles podem estar acima, mas amanhã poderão estar abaixo do rabo do gato. Aliás, muitos nem deveriam daí ter saído.

Quando não há eleição e os mesmos venham a ser indicados, pior fica a situação, pois diretor indicado significa cabo eleitoral pagos com verbas públicas o que é pior e mais danoso à sociedade, pois nem sempre esse possui qualificações pedagógicas para ocupar tal cargo e também se seu protetor não for eleito o oportunista estará na berlinda.

Seja qual for a situação, o agressor deve ser denunciado e o profissional em educação não deve comparecer a sala de tortura mental, onde em meio a uma cachorrada é exposto aos sádicos que a seu redor rosnando feito cães ferozes e ficam felizes em vê-lo chorar e ser humilhado. E rosnam porque só sabem agir em bando devido a sua inegável incompetência e covardia.

Quando não alguns párias mancomunam-se com equipes e até alunos, mentindo, distorcendo e inventando histórias para prejudicar um colega, mas esses pústulas geralmente lhes cai a máscara, pois fazem isso para desviar a atenção de sua postura censurável e seu passado sujo, assim tendo um bode expiatório esses crápulas tentam passar por gente boa, mas seu passado um dia vem a tona e passam a ser odiados tanto ou mais que o agredido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário