segunda-feira, 8 de abril de 2019

Mulher é flagrada ao tentar entrar com droga introduzida no ânus em Presídio de Santa Cruz

Fotos: Jabson Nunes.

Por volta das 10h20 deste domingo (07) uma mulher identificada por Judite Geolita de Siqueira (32 anos) foi flagrada ao tentar entrar no presidio de Santa Cruz do Capibaribe com aproximadamente 101 gramas de maconha introduzida no ânus e 21 gramas de cocaína dentro de alimentos.


Segundo informações dos agentes penitenciários, Judite iria entregar toda a droga ao seu companheiro e presidiário Alexandre Araújo da Silva. Após apreender a droga, os policiais foram acionados e aguardaram o término da visita para que o casal fosse conduzido para a delegacia local, onde eles foram autuados por associação ao tráfico de drogas.

Blog do Ney Lima

Radar de velocidade pode estar com os dias contados


O fim das lombadas eletrônicas e de outros medidores eletrônicos de velocidade estão com os dias contados, conforme projeto de lei (PL 2087/2019) do deputado Pastor Eurico (Patriota/PE). Segundo a proposta, fica proibida a utilização desses medidores, exceto em casos especiais definidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). 

Segundo o deputado, o projeto quer frear a indústria da multa decorrente do uso abusivo dessas ferramentas e aumentar a fluidez do trânsito, que, segundo o parlamentar, fica comprometida pelos radares.

Pastor Eurico diz que as lombadas eletrônicas, que foram projetadas oficialmente para controlar a velocidade das vias, se tornaram uma fonte de receita considerável para os estados e para as concessionárias que administram estradas no país. “Sabemos que hoje a real intenção dos radares não é reduzir a velocidade das vias, mas sim gerar arrecadação”, afirma.

Ainda de acordo com o deputado, sua proposta atende aos anseios da população e vai ao encontro de medidas anunciadas pelo governo federal, que pretendem revisar o formato atual de fiscalização eletrônica e reduzir a aplicação excessiva de multas.

Após vídeo de Bolsonaro nesse sentido, o ministro da Infraestrutura admitiu que é necessário rever o modelo, colocando o controle de velocidade apenas em pontos críticos, onde há grande quantidade de acidentes causados por excesso de velocidade.

Blog do Cidade em Foco.