terça-feira, 11 de junho de 2013

90% dos brasileiros são a favor da redução da maioridade penal




Pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em conjunto com o Instituto MDA divulgada nesta terça-feira (11) revela que 92,7% dos brasileiros são a favor da redução da maioridade penal. Outros 6,3% são contra e 0,9% não opinaram. O levantamento CNT/MDA foi realizado com 2.010 pessoas em 134 municípios de 20 Estados entre os dias 1 e 5 de junho deste ano.

A redução da maioridade penal voltou ao noticiário em abril, quando o universitário Victor Hugo Deppman, 19, foi assassinado em frente ao prédio onde morava, em São Paulo, supostamente por um adolescente de 17 anos - que completou 18 anos poucos dias depois.

À época, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), levou ao Congresso Nacional projeto de aumentar o rigor na punição a menores que cometeram crimes hediondos. O projeto, no entanto, não pedia a redução da maioridade penal.

O assunto é tema de propostas em tramitação no Senado. Há pelo menos três em discussão na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Dentre elas, apenas uma tem o voto favorável do relator, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), a de autoria do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), que defende a restrição da redução da maioridade penal apenas em casos de crimes cometidos por menores como tortura, terrorismo, tráfico de drogas, homicídio por grupo de extermínio, homicídio qualificado e estupro.

Pesquisa: Eduardo teria 3,7% dos votos para presidente



O governador Eduardo Campos (PSB) receberia 3,7% das intenções de voto para a Presidência da República se a eleição fosse hoje. O número é da pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta terça-feira (11). Se comparada com os dados da última consulta do mesmo instituto, divulgada em agosto do ano passado, Eduardo teria oscilado negativamente em 2,8 pontos percentuais. A margem admitida pelo instituto é de 2,2 pontos percentuais.

Se comparados os cenários em que aparecem os mesmos candidatos (Dilma Rousseff, Aécio Neves, Eduardo Campos e Marina Silva) nas duas rodadas de pesquisas da CNT, realizadas em 2012 e 2013, os números do governador pernambucano sofreram uma retração.

Levando em consideração as intenções de voto da pesquisa de 2013, Eduardo poderia oscilar de entre 5,9% e 1,5%, considerando a margem de erro. No levantamento divulgado no ano passado, esses percentuais seriam de 8,7% a 4,3%.

Na pesquisa divulgada nesta terça, dois cenários foram analisados. No primeiro, Dilma Rousseff (PT) teria 52,8% das intenções de voto, contra 17% de Aécio Neves (PSDB); 12,5% da ex-senadora Marina Silva e 3,7% de Eduardo Campos. Na segunda simulação, em que figuram apenas Marina e Aécio, Dilma lidera com 54,2% das repostas dos entrevistados, ante 18% de Aécio e 13,3% de Marina.

Os entrevistados que votam em branco somam 8,6% e os que não sabem ou não responderam totalizaram 5,9%. A consulta foi realizada em 20 Estados e 134 municípios. Ao todo, foram aplicados 2.010 questionários.

Pesquisa: Eduardo condena torcida contra governo Dilma

Governador diz que queda na popularidade de Dilma pode ser ‘oscilação natural’


O governador Eduardo Campos, disse nesta segunda-feira que a queda na aprovação da presidente Dilma Rousseff, apontada em pesquisa divulgada no sábado, pode ser fruto de uma “oscilação natural” na popularidade da presidente, e que não avaliou se é uma tendência. Ele condenou as avaliações de que uma piora na aprovação de Dilma possa indicar mais espaço para viabilizar uma candidatura para concorrer com a presidente em 2014.

— Eu acho lamentável que as pessoas, para viabilizar uma candidatura, tenham que torcer para dar errado. Temos que torcer para dar certo! — disse Campos, que afirmou ser preciso “ajudar o Brasil” nas questões econômicas.

--Precisamos trabalhar isso de maneira a não privilegiar essa diferença eleitoral neste momento, minha gente. Porque o que nós estamos tentando é preservar ou não aquilo que todos nós construímos — disse.

Eduardo destacou que devem ser vistos de forma distinta uma preocupação com o momento atual do país, em busca da retomada do crescimento da economia, ou identificar se a redução da popularidade da presidente é uma tendência. Para ele, o governo atual tomou uma série de medidas que ainda não transmitiram seus efeitos.

— Uma coisa é a preocupação com o país, com a retomada do crescimento, que faz parte da nossa pauta desde o ano passado. Muitas ações foram deflagradas, mas a gente não teve uma retomada ainda na proporção que desejamos. Estamos chegando ao meio do ano e devemos centrar os nossos esforços, ajudar o Brasil a se entender em torno de uma agenda do crescimento econômico. Temos que voltar a crescer, segurando a inflação. Não podemos fazer uma coisa ou outra. Temos que encontrar o caminho sadio, que é o da retomada do crescimento com inflação sob controle e com inclusão das pessoas no mercado de trabalho, com melhoria da renda, da produtividade da nossa economia. Isso não é um trabalho singelo, mas é possível fazer e precisamos nos dedicar a uma grande unidade em torno dessa pauta. Acho que esse é o nosso objetivo — disse Eduardo Campos.

Entre os pontos que devem ter atenção no governo, Eduardo destacou que é preciso buscar “uma pauta enxuta, mais objetiva no diálogo federativo com o Congresso”.

Ele evitou comentar sobre um recuo em sua candidatura à presidência da República, se isso seria um pedido feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

— Sobre essas questões, vamos conversar em 2014 — disse.

De O GLOBO - Maria Lima

Em pouco tempo policia prende assassinos de idoso em Santa Cruz do Capibaribe.


Em poucas horas, polícia pega criminosos que assassinaram brutalmente um idoso em Santa Cruz
Klebson Luiz e um adolescente de 17 anos confirmaram suas participações no crime brutal. Foto:
Na tarde desta segunda-feira (10), através de informações vindas de testemunhas, a polícia fez o cerco e pegou os criminosos acusados de matar, a pauladas, o idoso José Raimundo de Souza, (87 anos e residente na Rua Capitão Pedrosa), na madrugada de hoje.

De acordo com informações dadas ao repórter policial Luciano Lopes (que entrevistou os dois envolvidos), Klebson Luiz (18 anos) e um adolescente de 17 anos estavam roubando leite no curral quando foram surpreendidos pela vítima, que reclamou com os acusados.

Em seguida, o adolescente e a vítima teriam iniciado uma discussão e, assim que o idoso caiu no chão, o adolescente então desferiu as pauladas na cabeça, que levaram a vítima a óbito. Em seguida, os dois tentaram esconder o corpo da vítima com capim.

O maior foi recolhido para o presídio e autuado por latrocínio. Já o adolescente foi recolhido para a Funase. O efetivo da ocorrência foram os policiais das equipes NIA-ZM e Gati.

Coincidência macabra

De acordo com as informações, os acusados também residiam na Rua Paraná, bem próximos ao local do crime e foram presos na residência do próprio Klebson.

Publicado no Facebook