sábado, 25 de janeiro de 2014

''Paguei R$ 200 mil de propina ao ministro Lupi''




Declaração bombástica é da empresária Ana Cristina Aquino, em entrevista à revista Istoé, na edição que chega, neste final de semana, às bancas. Ela denuncia esquema no Ministério do Trabalho de pagamento de propina para criação de sindicatos, setor que movimenta R$ 2 bilhões por ano. Ana é dona de duas transportadoras, a AG Log e a AGX Log Transportes, e durante três anos fez parte da máfia que agora denuncia. Ela envolve não apenas o ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi, comandante do PDT, no esquema, como também o atual responsável pela pasta, Manoel Dias. Lupi deixou o cargo em 2011, justamente por envolvimento em caso de corrupção com criação de sindicatos

Do portal BR 247

Uma esquema de corrupção para criação de sindicatos no Ministério do Trabalho, que envolveu pagamento de propinas para o ex-ministro Carlos Lupi e o atual responsável pela pasta, Manoel Dias, é denunciado na mais nova edição da revista Istoé, que chega, neste final de semana, às bancas. O ministério é comandado pelo PDT. A reportagem publica denúncia feita por uma empresária, Ana Cristina Aquino, que diz ter pago R$ 200 mil a Lupi.

Ana Cristina é dona de duas transportadoras, a AG Log e a AGX Log Transportes, e durante três anos fez parte da máfia que agora denuncia. A Polícia Federal em Minas Gerais já tem indícios de que suas empresas serviam como passagem para o dinheiro usado no pagamento das propinas para a criação de sindicatos. Em apenas 24 meses, entre 2010 e 2012, a empresária trocou as dificuldades de uma vida simples pelo luxo de ter avião particular, helicóptero, uma mansão em Betim (MG) e até cinco carros importados na garagem, segundo relata a reportagem.

A revista ainda relata que após Lupi ser varrido do cargo durante a faxina que a presidente Dilma Rousseff começava a fazer no seu governo, justamente por envolvimento em denúncias de corrupção, que incluíam exatamente os processos irregulares de criação de sindicatos, o substituto dele, o deputado Brizola Neto (PDT-RJ), tentou colocar um freio na indústria dos sindicatos. Com a posse do atual ministro Manoel Dias, indicado por Lupi e leal às práticas do PDT, o esquema teria voltado a ocorrer.
Escrito por Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário